sexta-feira, 28 de julho de 2017

TIPS&TRICKS por Delson Neto - Quem nos enxerga como escritores?

Hey, galerinha! Tudo bem com vocês?

 
Nesta semana - especificamente no dia 25 de Julho - tivemos uma data importante: foi o dia do nacional do escritor. Sempre nesta data eu me pego pensando sobre uma coisa... Quem realmente nos enxerg como escritores? 

Não entendeu a pergunta? Então vamos pensar aqui um pouco, juntos.






Todo dia 25 a minha linha do tempo fica cheia de posts, marcações, e homenagens lindas que blogueiros literários, colegas escritores e editoras publicam. 
O carinho é demonstrado de forma muito espontânea e que nos faz acordar pela manhã já com um sorriso ao ler menções sobre nossas obras, trabalho e toda a batalha que enfrentamos diversas vezes para conquistar o nosso lugarzinho ao sol nestas terras tupiniquins. Não há glamour para um escritor nacional - há sangue que verte para que haja o mínimo de valorização do nosso ofício. Essa construção de valores parte antes de nós, mas ela só permanece viva enquanto a abastecem, e nisos diversas pessoas fazem parte para que continue acontecendo e nossos textos não morram na praia.





Contudo, consegue notar a sutileza dessa comemoração? "[...] blogueiros literários, colegas escritores e editoras publicam." homenagens. Eu não disse familiares, amigos. Uma tia distante que lembra da sua existência e trabalho, ou qualquer outra pessoa de fora do meio literário. Entende? Quem consegue atravessar as brumas da escrita, da arte, que a cobre com essa imagem utópica de que ninguém vive de escrita, e de que ser artista é uma ilusão, somos apenas nós mesmos. Nós que escrevemos dia após dia, nós que admiramos as obras nas prateleiras, nós que divulgamos o trabalho do autor nacional. Ninguém de fora nos vê com seriedade: ah, você é escritor? Legal, mas o que você faz DA VIDA?




Todo mundo já foi encarado com esse questionamento, desde que dentro de alguma área artística. Talvez se fizessemos qualquer outro trabalho, se fossemos médicos, advogados, e profissões de cunho mais tátil a quem nos olha de fora, amanheceriamos todo dia 25 de Julho com um bombardeio de mensagens de familiares e amigos - "Parabéns", "Sucesso!", "Sinto orgulho de você". Mas isso acontece? Não, e talvez nunca aconteça. Só quem vive das letras reconhece a si mesmo e aos próximos como alguém de valor. Ao resto? Estamos a mercê da vadiagem, sem rumo, vivendo de sonhos.




Talvez realmente a gente vive de sonhar. De realizar? É mais difícil, porém, não impossível. Mas temos que provar com unhas e dentes ao olhar público que merecemos valor, e merecemos realização. Caso contrário, você só publicar e-books, publicar por editoras menores, ou escrever no Wattpad, não te faz escritor. Não te torna sério. Ainda há uma visão arcaica acerca dos grandiosos lançamentos, das páginas amarelas. Se você não os tem, não é escritor. É só alguém atrás do computador, vivendo de qualquer outro sustendo que te trazem.

Minha opinião honesta? Que queimem as folhas amarelas. Eu trocaria todas os livros do mundo por um pouco de reconhecimento. Reconhecimento real, honesto e que traga visibilidade. É difícil permanecer nas sombras, é ainda mais impossível não ser enxergado.


No próximo dia do escritor, pense nisso! ;) 

Abraços e até a próxima sexta!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.