sábado, 24 de junho de 2017

Nua, por Mai Passos G: O estar em estado de paixão. A síntese sobre a banalização do amor.


Eu estava conversando com minha irmã sobre relacionamentos, já que aqui em casa eu sou a única que tive apenas um namorado, e depois disso nunca mais quis namorar. Sou a filha do meio, entre as meninas, e a cobrança de encontrar alguém com quem possa, supostamente, dividir a vida, sempre rola. Afinal, com 25 anos “eu deveria” estar em um relacionamento estável com um cara, já planejando casamento e filhos, a questão é: eu não quero isso pra mim. Não agora, não quando tenho tantas outras coisas para viver, experimentar e fazer.
Sempre quando assunto é esse, eu penso em quanto o amor esta banalizado. O quanto é fácil olhar para uma pessoa e dizer “eu te amo” sem nem ao menos saber o que é o amor, e o que isso significa. Qual seu verdadeiro significa. Isso pode vir a soar meio “amargo”, mas nós precisamos ser sinceros: alguém , aqui, que está lendo esse artigo sabe o que significa o amor? Qual a responsabilidade que sentir isso trás?
O grande problema do ser humano confundir “estar apaixonado” com “amar” uma pessoa, precisamos diferenciar isso, até porque, amar, no sentido romântico da palavra, está acima de muitas coisas que estamos dispostas a aceitar pelo outro.
Sempre li, desde de garotinha, que existiam diferenças entre esses estados, de estar apaixonado e estar amando alguém, o amor ele é mais sereno, calmo e nunca vem de sofrimento, paixão de em sua origem do latim ‘passio’ significa “Sofrer e Suportar”. Nunca entendi o que as pessoas queriam dizer quando separavam a palavra “paixão” da palavra “amor” com o tempo, e com o amadurecimento, pude, enfim, entender o que aquelas explicações significavam.
Paixão é o estado de euforia, desejo e vontade de estar com alguém. É sentir faltar, é pensar, sonhar e querer aquela pessoa por perto. É muitas vezes, cegar-se para defeitos. É viver em estado máximo de alegria, de querer todos os dias ver a pessoa, estar perto, sentir o cheiro, o abraço, o carinho. É querer cuidar. A paixão te faz desejar sentir tudo isso e mais um pouco, mas ela também vem acompanhada de sofrimento. Você se apaixonar por alguém, mas correr o risco que de jamais ser correspondido. Paixão vem carregada de sofrimento, de dor. Ela te parte ao meio, te racha, e te joga ao vento espalhando seus cacos, e no fim você precisa junta-los. A paixão te leva aos mais extremos da angustia humana. Paixão inflama, queima.
Amar alguém está além de estar apaixonado, quem nunca ouviu a frase “Não é porque duas pessoas se amam que elas vão permanecer juntas?”, uma frase nunca teve tanto sentido como essa. Amor está em renunciar a estar com alguém quando você sabe que não tem a capacidade de dar o mesmo amor. O Amor está em aceitar erros e acertos, qualidades e defeitos, e mesmo assim querer aquela pessoa como ela é. Amar está em ceder para ver o outro feliz, amar consiste em desejar que aquela pessoa seja feliz, mesmo sem você. O Amor não tem lugares no pódio, não é egoísta. O Amor em sua grande maioria renuncia. Amor luta e aceita a derrota se for o melhor. Amor sempre busca o melhor, o bem, a calmaria. O Amor, pode sim te destruir, mas ele salva também. O amor está presente nos pequenos detalhes, não é preciso dizer “Eu te amo” para amar alguém, é necessário apenas senti-lo. Amor não pede provas, nem gestos. Não obriga. Amor quando é amor, é visto, mesmo no silencio escuro.
As pessoas passaram a banalizar o amor.
Dizem “Te amo” se sentir.
Dizer ser “amor” quando não é.                                                                         
São egoístas, e prendem. O amor liberta. Amor não é prisão. Amor é liberdade.
Amor é deixar ir e aceitar o amor do outro, mesmo que ele não volte.
O Amor da sua vida não é aquele que permanece. O amor da sua vida é aquele que vem e muda tudo, toda a sua vida. Que te transforma no melhor que pode ser. O amor não precisa ficar para provar ser ele, ele precisa apenas existir e deixar suas marcas mais belas.
As pessoas banalizaram o amor ao achar que ciúmes e amarras são provas dele. Banalizaram quando disseram “te amo” sem amar, sem sentir, sem entender, sem compreender. O amor não é apenas romântico. O amor é o estado de espirito.
O Amor estar em brigar com a minha irmã, mas passar a madrugada no hospital com ela por causa de uma crise de asma. É brigar com ela, e mesmo assim continuar ao lado dela enquanto a dor extrapola o corpo e transforma-se me lagrimas. É ouvir tudo o que ela tem a dizer, e tentar ser o melhor quando ela precisa.
O amor está em vencer seus medos de cemitérios para apoiar sua prima quando ela perde alguém que ama. É estar lá, mesmo quando ela não conta com você.
O amor está em renunciar toda a minha carreira de escritora, para fazer dos sonhos dos meus pais uma realidade, mesmo que isso custe o meu, e fazer isso com o coração, sem remorso, sem dor, sem cobranças. Fazer porque quer, porque sente, porque ama, e nada no mundo é melhor do que ver essas pessoas felizes.
O amor está em entender que você ama suficientemente alguém e deixar que ele saia de sua vida, mesmo quando você quer ao seu lado. É acompanhar a felicidade dele com o seu verdadeiro amor e estar feliz por eles.
O amor está em tudo aquilo que se pode fazer de coração, sem arrependimentos, sem julgamentos. Fazer por fazer. Porque quer.
Não banalize o amor.
Não diga amar quando não sente.
Não confunda paixão com amor e se anule.
Não deixe que a falsa ilusão de amar alguém te controle.
Todos merecemos sermos amados.
Sempre.
Mai.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.