sexta-feira, 7 de abril de 2017

Tips&Tricks por Delson Neto - Lacrymosa & O Medo na Ficção Sombria



Hey, galerinha! Tudo bem com vocês?

Hoje vai ser uma sexta-feira um pouquinho diferente aqui na TIPS&TRICKS, mas que muito se intercala com as propostas de reflexão que trago, ou tento trazer, junto ao processo criativo compartilhado com os leitores da coluna.

Para começar – desliguem as luzes, respirem fundo, e espero que não tenham medo do escuro!



O assunto da vez é Lacrymosa da autora Juliana Daglio, que já conta com diversos livros publicados, entre eles ''Uma Canção para Libélula” e “O Lago Negro”, lançados pela Editora Arwen. Sua nova aposta de sucesso - e promissora - traz uma narrativa sublime e consolida ainda mais a sua habilidade com as palavras. Enganchando nessa pegada sombria do dark fantasy psicológico desta obra, que tal falarmos um pouquinho antes sobre o ser humano e as suas condições quanto a algo peculiar, silencioso, mas que nos desafia– o medo?




O frio supostamente tem que ser maior do lado de fora” (Valery em Lacrymosa). Por essência nos questionamos a respeito do que há a nossa volta e de como interagimos com o meio. Ao sentirmos os ventos do inverno, como nos aquecemos? Ao sentir fome, como devemos buscar por comida? Há algo que nos rege acima das nuvens e alguém que nos espera abaixo de nossos pés? O desconhecido sempre nos encaminhou ao inimigo que aguardava a espreita: e ele não tem nenhum outro nome além de medo, gélido e cru como é, cheio de disfarces para se apresentar diante das suas vítimas. Contudo, será que aquilo que desconhecemos está mesmo nos cercando, ou as indagações e os temores estão guardados dentro de nós, desde o princípio, e pequenas provocações os revelam ao longo da vida?



Não quero seguir... Eu não quero ver o que tem depois!


Essa nossa busca por decifrar os mistérios do que tememos é o que traz mais angústia e frustrações quando começamos a acumular cicatrizes. Um brinquedo quebrado, o primeiro beijo perdido, a falta de emprego. Os abusos, de modo geral, as dores de um mundo caótico. Passado sequer devia determinar um evento recluso em nossas memórias, evanescente, pois não está inserido de forma alguma em uma linha cronológica – o passado é atemporal, uma maré que vai, se arrasta, e quando volta nos envolve com impacto. Nas artes, o ser que possui poesia em si, explorando as nuances da própria alma, quer nada além de traçar seu rumo pelas trilhas que levam ao objetivo final de descobrir, exorcizar, e resolver tudo o que lhe aflige.

Eu sabia que a maior parte do mal do mundo era feita pelos próprios homens. Seus
desejos hediondos, o potencial egoísta assassino presente na semente da alma, que
somados resultavam na decadência da espécie. Homens matando homens, disputando
lugares, corpos, dinheiro.
E todos culpavam o Diabo. As costas mais largas da história do homem.


A fantasia nacional e internacional da cultura literária tem criado um caminho de volta às raízes do que sustentam os assombros humanos. As angústias, ansiedades, tristezas e malícias passaram a fazer parte de uma utopia antes envolta de luz, mágica e do belo. Há beleza também na escuridão e temos que descobri-la, revelar o medo para encontrar respostas, enfrentar os demônios para compreender a si mesmo – dar voz às trevas. E é exatamente isso que nossa Valery Green traz à tona nas 32 páginas disponíveis para as primeiras impressões de Lacrymosa.

Irônico. Quanto mais perto da luz você fica, mais próxima está a marca da Besta.
Quanto mais lhe é dado, mais lhe será requerido.


Ambientado com pontos de vistas intercalados, cenários ao redor do globo e microcosmos expostos em linhas de deleite narrativo, a autora nos transporta para o olhar de seus personagens, essencialmente de Valery. A protagonista de personalidade marcante e opiniões incisivas é com precisão o tipo de personagem que me encanta com sua inteligência, melancolia e duas cervejas pretas, por favor. Valery é uma detetive em Darkville, Nova York, e o ritmo que leva entre a casa, bares e trabalho é frenético e sanguíneo. Não só pela função que exerce, antes fosse somente isso – ela não só sente o medo, ela o vê, a presença demoníaca a persegue em forma e cor.



O prólogo te fisga, não há como tirar os olhos daquelas linhas e da pergunta que treme na mente, tal como as formigas que Valery sente em suas visões: quem está ali, observando junto conosco, o destino de uma jovem de 16 anos desejando rompera a relação com os seus fantasmas? A aura sombria nos embala pelas próximas páginas, nos transportando a um rico e escuro mundo embalado por um caso misterioso, canções infantis e música clássica que trazem ritmo à história.

Seria um daqueles livros que, se estivesse completo em minhas mãos, eu teria fechado a porta e me certificado de que não haviam demônios ali escondidos, pois me prepararia para uma noite intensa de leitura. Bom, apesar que seria bobagem ter medo do Diabo entre as cobertas – Valery carrega tamanha presença e força que certamente o afastaria, mas antes ela teria que lutar contra si mesma. Sim, Lacrymosa planta em nós as lutas da personagem e o entendimento da necessidade de buscarmos equilíbrio interno para combater nossos principais inimigos. O frio, como dito, sabiamente nas palavras da autora, deveria vir de fora, contudo, talvez já estejamos congelados por dentro.

Fiquei curioso para o que teremos a frente desta obra. Teremos mais vislumbres de Roma? Valery e Alex, qual o tipo de relação que os rodeia? E o misterioso padre e o caso de Anastacia… Teremos um exorcismo? Opa, acho que paro por aqui antes de trazer ao leitor algumas pistas. Mas afirmo, livrando-me das sombras das dúvidas: você ainda ouvirá muito a respeito deste livro. Guarde bem o nome do próximo sucesso na sua estante. Lacrymosa.

SINOPSE:

O nome dela não é Valery Green. Também não nasceu no Kansas, e sua família
toda não morreu num acidente de carro onde ela foi a única sobrevivente. Nascida num
mundo de trevas e segredos apocalípticos, a garota feita de mentiras luta dia após dia para
ter uma vida longe de sua verdadeira identidade e de seu dom misterioso, o qual ela julga
como uma maldição.
Por cinco anos, ela conseguiu. Escondida na pacata Darkville, tornou-se uma
respeitada Detetive, conhecida por sua frieza e eficácia no trabalho. Seu companheiro
Axel parece ter orgulho de trabalharem juntos, até ficar frente a frente ao que encontraram
na busca daquela noite - um demônio dentro de uma garotinha.
Para ajudar a pequena Anastacia, Valery terá que colocar em risco o trabalho na
polícia e seu relacionamento com Axel, recorrendo à ajuda do Padre Henry Chastain, um
velho conhecido. Desenterrando um passado cheio de exorcismos, perseguições e
batalhas contra demônios, esse reencontro não promete ser feito de abraços e boas-vindas.
Chas, como ela o chama, é conhecido como o maior Exorcista vivo - a Espada de Sal do
Vaticano, e é sua única esperança de lutar contra o novo inimigo, mas também representa
o ponto fraco de si mesma e o acesso a um passado doloroso que pode despertar seus
próprios demônios interiores.”





Pensando na complexidade e vastos pensamentos propostos em uma fantasia escura e, acima de tudo, bem construída, deixo aqui duas dicas de livros do gênero para aprofundar-se nas questões humanas, ou nos romances mais sombrios prestes a pulsarem pelos nossos corações.



A primeira dica é Rainha daMorte, o primeiro conto de uma série que visa apresentar os personagens dos livros de dark fantasy de D.A Potens e Nicolas Almeira. Disponível para compra na Amazon, vale muito a pena. Deixei minha resenha por lá para vocês darem uma olhadinha :)



A segunda é o livro de estreia da querida Géssica Marques do Cantinho Geek que é minha parceira na divulgação das minhas obras. “Porcelana – Rubrum Luna” é o primeiro de uma duologia que mescla o dark fantasy ao hot, com uma boa trama de vampiros do jeito que a gente gosta. Está em pré-venda pela Young Editorial por R$29,90 :D


É isso aí pessoal, deixem uma luminária acesa hoje à noite e rezem para que Lacrymosa chegue logo às livrarias <3

PS: Um obrigado mais do que especial a Juliana Daglio por conceder o arquivo para as primeiras impressões e por depositar a confiança no trabalho de tantos blogueiros. Parabéns pelo trabalho, você arrasa!

Beijos!
Delson

13 comentários:

  1. Olá
    Já conheço a autora Juliana Daglio, apesar de não conhecer sua narrativa ainda, mas já ouvi comentários bem positivos a respeito. Gostei das duas dicas acima, mesmo porque não as conhecia, e fiquei curiosa pelas sinopses, especialmente por Porcelana.
    beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Meo deus!!! ESTOU ESTIRADA NA BR com esse post!
    E ESSES GIF? E ESSE TEXTO MARAVILHOSO?
    Como faço para te abraçar agora???

    Delspn, eu amei tudo. O post, sua resenha, o carinho, as expectativas. TUDO!!!
    Sou muito grata por ter lido minhas primeiras páginas e já estou ansiosa para saber o que vai achar do livro todo!! <3

    OBRIGADAAA!!

    ResponderExcluir
  3. Já ouvi falar da Juliana, e só críticas positivas, mas ainda não tive o privilégio de ler seu trabalho. Seu post ficou tão caprichado que só aumentou minha curiosidade.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Já ouvi falar do livro, mas não sei se lerei :) Fiquei curioso logo depois de ler a sinopse e as tuas ideias...

    O medo e algo universal e transversal no mundo, inerente à palavra ser humano.. O post ficou bem interessante!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. "o passado é atemporal, uma maré que vai, se arrasta, e quando volta nos envolve com impacto."

    Como amei essa frase!!! ❤️
    Obrigada pela indicação dos livros, Delson!
    Muito legal seu artigo!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Também tive o prazer de fazer as primeiras impressões e não tem nada a dizer a não ser maravilhoso! Estou empolgada para saber mais detalhes e mais ramificações que essa história nos vai dar. Adorei suas duas outras indicações e fiquei bem animada em ler a rainha da morte, pois já me conquistou pelo título.
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oiee ^^
    Eu só cheguei a ler dois livros da Juliana, mas os achei muito intensos. Estou doida para ler "Lacrymosa", apesar de não sentir que estou no "momento certo" para fazê-lo. Parece ser bem interessante, e saber que a história te fisgou me deixou ainda mais curiosa. Espero lê-lo em breve.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  8. Olá, nossa que livro hein to apaixonada e enlouquecida para ler este título. A autora Juliana Daglio também é incrível, não li nada ainda dela infelizmente, mais tive ótimas referências dela e de suas obras, com certeza ela já tem uma certa moral comigo, os livros dela parecem ser incríveis, esse é um que quero muito ler, valeu mesmo pela dica. Parabéns pela resenha, beijinhos.
    http://fonte-da-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, Delson

    Já conhecia a autora e esse livro parece ter uma pegada bem diferente. Eu não curto muito fantasia, meu lance são mais as histórias reais. Mas para quem curte creio que o enredo seja um prato cheio!
    Espero que consiga lê-lo por completo bem em breve, e que a leitura seja tão prazerosa como foram as poucas páginas que você leu.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oie,
    A Ju Daglio é um chodó meu a algum tempo e olha que infelizmente ainda não tive a oportunidade de ler nada dela... mas sei lá as capas dela me prendem de uma maneira inigualável. Adorei seu post e já tenho esse livro na lista de desejos.
    Quanto aos outros livros ainda não conhecia, mas gostei muito mesmo da capa de Porcelana, muito instigadora, já quero também!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  11. OOi!
    Conheço a autora pelas redes sociais, mas nem havia lido nada sobre esse livro dela. Olha... Digamos que, esse lado sombrio mexe comigo. kkk Sou bemmmmmm medrosa! Por isso, prefiro matar minha curiosidade com a escrita da Ju por meio de outro dos seus livro.
    Parabéns pelo post!
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Conheço a Juliana por todo sucesso que os livros dela faz. Lacrymosa está na lista quando vi ela divulgando ele nas redes sociais. Ler seu post triplicou minha curiosidade, pois ele é de um gênero e uma forma que me atrai demais.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  13. Já conheco a autora, mas ainda não conheço sua escrita. Lacrymosa já me chamou bastante atenção desde o início, quando a Ju ainda estava no processo de finalização. Espero ter em breve todos os capítulos e entrar nesse universo.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.