domingo, 15 de janeiro de 2017

Entrelinhas por Suellen Mendes: Ensina-me A Amar (Parte 2/4)

Olá, leitores do STC! Como estão? 



Sempre que inicio um novo projeto sou tomada pela ansiedade. A vontade de acertar e conquistar os leitores está sempre ali, à espreita, provocando-me a buscar lhes fornecer apenas o melhor! Ensina-me a amar é um texto que há algum tempo queria escrever, porém que me faltava oportunidade para tal. Como já disse antes, o enredo é uma adaptação da realidade; só que ao invés do que normalmente acontece nas redes sociais (e/ou através de e-mails), proponho-lhes uma nova abordagem: cartas! Sim, esse meio de comunicação pouquíssimo usado nos dias de hoje (exceto para assuntos comerciais) já foi a principal forma de se comunicar com alguém há longa distância. Remontando à uma época, por muitos, deixada de lado, proponho-lhes, no entanto, uma viagem ao passado, com outras formas de ver a vida, de se comportar, de falar e de demonstrar os sentimentos.  

Estão prontos para viajar para essa época junto comigo? Então aqui vai mais uma parte do conto Ensina-me a amar!

Perdeu a primeira parte? Confira Agora:



 *** 
Leia ao som de Beyonce - Listen: 
*****************************************



  
- Como estão as minhas meninas? – Luís perguntou ao beijar o rosto de Abigail e, logo em seguida, a testa de sua pequena Alana. 
  
Os meses haviam se passado desde que Abigail recebeu a primeira carta de Juan destinada a ela. Seis meses, para ser mais precisa; o que significava que aquela oculta no bolso de sua saia já era a sexta carta que ele lhe escrevia, desde que ela - ousadamente - respondeu-lhe a carta que escrevera ao seu falecido irmão. 
  
- Estamos bem, querido! – os olhos de Luís tornaram-se ternos pela forma carinhosa com que ela o tratara.  
  
A verdade é que mesmo com as diferenças de temperamento entre o marido e ela; a cada dia, Abigail percebia o quanto tinha sorte por ter se casado com alguém que a respeitava e era atencioso, apesar de nem sempre mostrar-se tão carinhoso quanto ela desejava. 
  
- A menina está cada dia mais parecida com você. – o homem comentou enquanto sentia seu indicador ser envolvido pelos dedos gorduchinhos da filha de apenas dois meses. 
  
Abigail sorriu enquanto Luís a olhava com intensidade. – Precisarei me ausentar por um tempo. 
  
A leveza no rosto da jovem, no entanto, foi desfeita. Abigail já sabia que essa era a rotina de trabalho dele, porém sentia-se só sempre que ele viajava. 
  
- Quanto tempo ficarás fora desta vez? 
  
Ele suspirou e levou a mão ao rosto dela. – Talvez três meses. 
  
- Tudo isso? 
  
- Sinto muito, minha senhora. Irei ao norte desta vez. Ao Amazonas, para supervisionar uma obra perto do rio. Será uma importante rota de comércio para nós. 
  
- Tudo bem, eu entendo. – mas a verdade é que estava desgostosa. Três meses sem o marido e com uma filha pequena... Deus! Ela tinha medo de não conseguir atender às necessidades de Alana, porém não quis lhe demonstrar tal fraqueza. - Quando partes? 
  
- Depois de amanhã. 
  
- Então creio que não devamos perder tempo em começar a nos despedir. – A jovem mãe disse após deixar a filha, recém adormecida, em seu berço. 
  
A aproximação de Abigail e a forma como a esposa olhava para ele - desprendida do típico pudor ensinado às damas da sociedade paulistana desde a mocidade - faziam Luís sentir-se um homem de sorte por poder tê-la como companheira. O homem nunca quis uma mulher submissa e sem voz. A vitalidade e ousadia de Abigail faziam dela a mulher certa para estar ao seu lado. Mesmo com a diferença de idade, pois Luís era doze anos mais velho do que ela – ele sentia-se um menino completamente arrebatado pelos encantos de Abigail; porém reconhecia que ainda precisava melhorar seus hábitos para de fato conquistá-la. Como filho único, fora mimado pelos avós maternos, já que a mãe morrera em seu parto e o pai nunca o reconheceu. O casamento entre os dois, contudo, diferente do que ela pensava, aconteceu não apenas por interesse dos pais dela e dos avós dele, mas porque Luís insistira em desposa-lá e, como sempre, correu atrás até conseguir aquilo o que tanto queria: Abigail! E, agora, tendo-a em seus braços, ele percebeu que jamais aceitaria perdê-la. 
  
*** 
  
O choro de Alana, na madrugada, fez Abigail levantar-se. 
  
- Deixe que irei atendê-la. Continue dormindo. – Disse ao marido depois de beijá-lo no rosto. 
  
Alguns minutos depois, após ser amamentada, Alana voltara a dormir. Abigail havia relutado o dia inteiro para ler a carta de Juan. A verdade é que começava a sentir-se mal por aquele pequeno segredo. A cada carta a amizade (e cumplicidade) entre ela e o melhor amigo de Alberto só aumentava, bem como a culpa por ansiar por suas cartas e suas palavras dirigidas a ela. Após confirmar que Luís dormia, a jovem retirou-se do quarto e foi em direção à biblioteca. Ao abrir a carta, sentiu o peito acelerar. 
  
“Minha querida Abigail, como estás? E a pequena Alana? 
  
A cada dia minha curiosidade torna-se maior a respeito da aparência de sua menina, imagino que ela seja tão bela quanto a mãe dela. Não sei se já lhe disse isso antes, mas uma vez seu irmão me presenteou com uma descrição muito bem detalhada da senhora. ‘Os olhos penetrantes como o de um felino, porém em um tom que faria inveja a mais brilhante das esmeraldas, contrastando com o preto carvão de seus cabelos e a alvura de sua pele. Mas não se engane, meu amigo, por trás da aparência delicada de minha irmã há uma ave ansiando por alçar voo.’ Essas – exatamente - foram as palavras de Alberto. Definitivamente não há como não ficar curioso, Abi; já criei inúmeras imagens mentais ao seu respeito, porém receio que nenhuma delas faça realmente justiça a sua real beleza. Peço desculpas, no entanto, se meu atrevimento a constranger. 
  
Gostaria, contudo, de lhe dar uma notícia. Finalmente meu filho nasceu. Sim, é um menino como me dissestes que seria. Até agora me pergunto se não és uma bruxa, vidente, ou seja lá o que for. Enfim, o fato é que estavas certa; então, decidi chamá-lo de Enzo em sua homenagem.” 
  
Abigail rapidamente levou a mão aos lábios, tomando fôlego, ao se lembrar da vez em que ele lhe perguntou se ela já havia escolhido o nome do bebê caso fosse menino ou menina. Na ocasião, Abigail lhe confessou que se fosse menina ela gostaria que se chamasse Alana, como forma de homenagear a mãe de seu marido; porém, se fosse menino, quem escolheria seria o pai da criança, e apesar dela amar o nome Enzo, Luís queria que fosse Neto, devido ao carinho que tem pelo avô que o havia criado como um filho. Ela entendera e concordara com o esposo. 
  
Entretanto, havia mais naquela carta. Recobrando a consciência, ela continuou a ler. 
  
“Antes que perguntes, informo que Maria e Enzo estão muito bem. Ela passou por um momento delicado durante a gravidez e teve algumas complicações no parto, nosso filho acabou vindo ao mundo algumas semanas antes do previsto, mas agora as coisas parecem estar melhor.” 
  
Uma sensação de alívio por saber que ambos – mãe e filho – estavam bem inundou Abigail. A verdade é que a jovem temia pela saúde de ambos, durante os últimos meses ela acompanhou a angústia de Juan com relação à frágil saúde da mulher. Abigail temia por ele e pelo primogênito do casal que por meses acompanhou como a mãe estava debilitada. Imagem que ela sabia não ser nem um pouco agradável para um menino de sete anos. 
  
“ Agora, mudando de assunto,” – ela voltou a fixar sua atenção na carta em suas mãos – “preciso mencionar o último texto que me mandastes para publicar no jornal. Mais uma vez fui surpreendido por suas palavras. Pergunto-me se percebes o poder que tens nas mãos. Já sou cativo desse poder, Abi! Queria saber exatamente como seria sentir e compartilhar com alguém o amor que descreves; pois apesar de ter um imenso carinho por minha esposa, nunca senti algo semelhante à intensidade por trás de seus versos. Seria esse amor, essa paixão, realmente possíveis, ou reais? Espero um dia saber responder... 
  
Cuide-se, minha querida Abi! 
Com todo o meu afeto, Juan!” 
  
Abigail leu e releu aquela carta. A cada novo contato, ela parecia notar em Juan uma entrega que não imaginava ser possível. O tom de flerte não lhe escapava e, mesmo sabendo não ser o certo, sentia-se compelida a retribuir-lhe a afeição. Tal impulso a fez pegar um novo papel e deslizar a caneta-tinteiro sobre ele, as palavras salvam-lhe diretamente para a folha enquanto as escrevia. 
  
“ Meu querido Juan, ...” 
  
(Continua) 
*** 
  
Desejo uma ótima semana a todos! 
Beijinhos e até o próximo final de semana!💋💋 
Suellen

27 comentários:

  1. Oiee Suellen ^^
    Vim direto da primeira parte para ler mais...haha'
    Aiaiai, estou vendo que logo logo as coisas vão esquentar nessa história *-* no sentido de os personagens ficarem mais próximos, digo. Estou curiosa e ansiosa por mais ♥
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Li as duas primeiras partes e já quero mais! Adoro histórias com esse tipo de ambientação e já dá pra notar que os personagens ainda vão nos surpreender bastante. Estou curiosa com o que está por vir.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi, oi!
    Geeeente! Empolguei! Lá vem barraco, haha
    A história parece ótima! Tentarei acompanhar ;)
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Me empolguei bastante por esse textinho que foi postado, parece ser lindo e emocionante, além do mais gostei muito dos personagens.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Nosso. Fiquei chocada com a forma que você escreve e em como fiquei presa na história. Fiquei curiosa para saber o que vai acontecer. Meus sinceros parabéns. Sua história está incrível.
    Beijos,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir
  6. Caramba, como você escreve bem, me interessei muito pelo texto. Já vi que teremos em breve mais um escritor na área kkk Parabéns de verdade pela escrita, ficou muito instigante!!

    www.memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  7. Uma História muito empolgante que nos leva a perguntar o que acontecerá a seguir! De certeza que vou acompanhar até ao fim!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Suellen!
    Parabéns pelo texto! Você escreve muito bem. ^^
    Fiquei curiosa sobre o futuro da relação de Abigail e Juan.
    Pretende publicar?
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Suellen, vc escreve muito bem! Estou curiosa e ansiosa para conferir qual será o destino desses dois! E adorei você desenvolver a relação dos dois por cartas! Me vi presa a estória e quero mais, por favor! Aguardo as próximas partes :)

    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  10. Olá, muito, muito, muito bom o seu texto! Só na parte que li nesse post, já pude perceber o quanto os personagens foram bem construídos e já gostei muito da história, quero ler mais!

    ResponderExcluir
  11. AHHHH PAROU EM UM PONTO IMPORTANTE, ME DEIXOU CURIOSA DEMAIS! VOCÊ ESCREVE BEM DEMAIS, QUANDO DEI POR MIM JÁ ESTAVA FINALIZANDO A LEITURA, SIGA FIRME COM O PROJETO!

    ResponderExcluir
  12. Parabéns! Você escreve muito bem. Deixou uma curiosidade no ar que faz a gente querer voltar e saber a continuação dessa história! =)

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Ol´pa
    que legal o post e sua escrita, parabéns, parou num ponto que deixou a desejar mais hahaha e adorei a musica escolhida

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Adorei esse seu projeto e sua escrita, você escreve bem demais, parabéns! Você parou a história em um momento essencial, para nos fazer querer ainda mais e ficar aguardando os próximos capítulos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Olá, esses projetos de escrita são demais...adorei conhecer esse e apreciar seus textos, parabéns!

    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Oi

    O texto continua tão bom quanto o primeiro. Tive que reler, pois não me lembrava muito sobre ele. Estou aguardando ansiosa pelas próximas partes e o final. Estou Adorando!!

    ResponderExcluir
  17. Olá!! :)

    Gostei de ler a segunda parte da historia e espero as seguintes..! Muitos parabéns pelo conseguido!!

    Interrompeste logo ali, hem? ahah Bem, mesmo que não faça o meu género de romance, deixaste-me curioso! :) Continua!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  18. Oi
    O conto ficou interessante, fiquei curiosa pela continuidade. Gostei bastante deste trecho "O homem nunca quis uma mulher submissa e sem voz. A vitalidade e ousadia de Abigail faziam dela a mulher certa para estar ao seu lado. Mesmo com a diferença de idade, "

    ResponderExcluir
  19. Ameeei a escrita e os personagens! Será possível que vou ter que ter o na ordem errada. Já que li o segundo antes do primeiro. kkk Acho que é melhor eu lê-lo e depois reler esse.
    Enfim, parabéns! Vou tentar acompanhar!
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  20. Olá,
    Assim como a Catrina eu li primeiro esse rsrsrs e agora estou indo ler a primeira parte.
    Confesso que fiquei meio perdida por causa disso até entender o que estava se passando.
    Adorei o texto que está bem escrito e é cativante. Os personagens me deixaram intrigada para saber o que irá acontecer, principalmente por Abigail ser uma mulher bem forte e nada submissa!

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  21. Gostei da sua escrita, mas fiquei um pouquinho confusa por não ter lido a primeira parte. De qualquer maneira, adorei você usar aspas em vez de travessões, não é comum. Essa frase final... Quero logo ler a continuação.

    Um abraço!
    Parágrafos & Travessões

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Fiquei um pouco perdida por não ter lido as partes anteriores, mas gostei do enredo e da sua escrita, hehe.
    Vou separar um tempinho depois pra dar uma conferida melhor.

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Vou começar a ler da parte 1 pois parece ser um texto bem bacana. Adoro esse tipo de projeto e espero que você traga logo as outras partes.

    ResponderExcluir
  24. Como são quatro partes, eu estava esperando um pouquinho mais nessa... mesmo assim, não me decepcionei e ao terminar o texto, tudo me pareceu na medida certa, o bastante para me fazer querer ler logo a próxima parte e ver como será o desdobramento desse relacionamento.
    estou adorando acompanhar cada parte :)
    Mais uma vez, parabéns pela forma como escreves!!!!
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  25. A capa do conto é bem delicada, né? Gostei.

    Acompanhei o primeiro gosto e gostei, deste também. Mas não sei como me sinto em relação ao flerte nas entrelinhas... Coisa pessoal, não leve em conta.

    O jeito com o qual escreve é agradável, muito bom seu conto!

    Parabéns!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  26. Oiii.
    Adorei seu projeto, já venho pensando em fazer algo parecido há um tempo, mas nada de colocar para fora. Escrever textos e contos é otimo para acompanhar nossa evolução como escritores e saber se nossos leitores estão gostando da história. Amei o texto de hoje e quero acompanhar os próximos.
    Bjs Mary

    ResponderExcluir
  27. Que História empolgante faz a gente se perguntar o que virar seguir!
    Não. Vejo a hora de saber o. Final

    ResponderExcluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.