domingo, 18 de dezembro de 2016

Prosa no Divã por Leandro Salgentelli: Pisca - Pisca e Vaga - Lumes


Sabe o que mais me dói quando saio à noite? É não ver pisca-pisca nas casas, nos comércios, nas avenidas e ruas. Eu amava o tempo em que tinha pisca-pisca para todos os lados. Em alguns lugares as luzinhas chegam por volta do dia 1º de dezembro. Mas se me lembro bem, na minha infância, os piscas-piscas chegavam bem antes. Lembro que as cores despertavam em mim uma sensação que vislumbro até hoje (aquela sensação de alegria que se perdeu nessa correria dos dias). 

Tinha também vaga-lume, lembro que brincava de caçar vaga-lume com alguns amiguinhos, engraçado, até os verdinhos sumiram. Ou estou sendo muito provinciano? 

Ah, que saudade de quando eu subia na janela e via a cidade cheia de cores. Quando via as casas com tanta magia. Eu tinha a sensação de que as pessoas deixavam as luzes apagadas durante o ano todo para finalmente descarregar a energia logo na terceira semana de novembro, e assim, deixar o fugaz ilustrar as relações, o ambiente. 

Lembro quando as pessoas se divertiam mais; agora, estão todas plugadas no piloto automático. Conversar com amigos, telefonar para um amigo, um parente, parece à morte. WhatsappFacebook e C&A deram a possibilidade estarmos conectados com o mundo — entendo, tempos modernos —, por outro lado, a tecnologia fez a desconexão com os outros que levamos entranhado e com aqueles que estão entorno de nós. A tal correria dos dias deixou todos exaustos para papo-furado, cartão de Natal, piscas-piscas e conversas na varanda. A tendência do século é ser workaholic. Cada um no seu modo frenético, evitando pensar, evitando sentir, evitando viver. 

A impressão que tenho é de estar num lugar em que tudo está desligado, sono profundo. Entendo. Este ano aconteceram tantas coisas, tantas tragédias que você chega a pensar: como a essa altura do campeonato pode acontece isso? Impeachment, corrupção, desastres, epidemias, guerras, atentados, crise econômica, crise hídrica, crise política, manifestações, eleições, discursos de ódio, brigas, mortes, violência, perdas, sonhos que foram adiados, taxa altíssima de desemprego, ufa, alguém aí me alcança um copo ’d água? 

Uma coisa vai ligando outra, já percebeu? É feito roda-gigante. Somos bilhões e mesmo assim estamos todos conectados de alguma forma. O que acontece do outro lado do mundo reflete aqui onde estou, aí onde você está, reflete também no seu vizinho. 

Faltam quase nada para o Natal e as pessoas não se deram conta que é tempo de tirar o pé do acelerador. Tudo que tinha de pior já aconteceu. Mas não. Elas insistem em trabalhar, trabalhar e assim permanecem desconectadas com o magico. Mas, na verdade, não queria que minha fixa caísse de que tudo acabou. Os piscas-piscas acabaram, os vaga-lumes voaram, os pássaros não cantaram, as aves não brotaram e também decidimos não acender. 

Leandro Salgentelli 


36 comentários:

  1. Que texto forte e que nos leva a refletir, voce tem razão, as pessoas não tiram o pé do acelerador, estamos sempre conectados, esse natal tem sido diferente, o clima, tudo parece tão triste... Espero que as coisas melhorem. Seu texto é ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei que era o único que tinha essa impressão. Mas vejo que você também está perplexa. Eu também espero. Aproveito para desejar um feliz Natal a você toda sua família. Um beijo carinhoso.

      Excluir
  2. Olá,
    Eu adorei seu texto, me identifiquei muito com o que foi descrito. Me sinto exatamente da mesma forma.
    Parabéns pelo excelente texto, é muito bacana quando encontramos alguém que coloca em palavras algo que pensamos.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gisele, muito obrigado pelo carinho. Aproveito para desejar a você um feliz Natal e Ano Novo.

      Excluir
  3. Oie,
    Excelente texto! Realmente hoje em dia não vemos mais vagalumes, nem pisca pisca no Natal. As pessoas estão existindo ao invés de viver, só deixando no piloto automático. Um mundo melhor para 2017! rsrs
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jessica, exatamente, não tem pisca-pisca nem vaga-lume. É uma pena que tudo tenha se perdido. Um beijo pra você e já desejo um feliz Natal e Ano Novo.

      Excluir
  4. Oi!

    Que texto pesado, mas necessário. Apesar de eu não comemorar o natal, acho essa época do ano importante para se renovar mesmo. E o que eu vejo são pessoas cada vez mais atoladas em suas tarefas do trabalho, faculdade, ninguém se importa mais com a família, com os amigos... Realmente uma época meio diferente estamos passando. Adorei seu texto, vou compartilhar com meus amigos e até memso rever algumas coisas na minha vida.

    Boas festas!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anelise, também não comemoro o Natal. Mas adoro luzinhas e árvores de natal. (rs). Exatamente, desculpe o termo, mas esse ano foi do cacete. Mas o que nos resta é refletir e tentar mudar o que está entorno de nós. Um beijo e desejo boas festas também.

      Excluir
  5. Olá ♥
    Que texto marcante. Quando era mais nova meu sonho sempre foi ir para os Estados Unidos, pois lá sim tem um espirito de natal maravilhoso uma casa mais decorada que a outra. Hoje parece que perdemos um pouco desse tino, eu mesmo esse ano trabalhei tanto que quando parei para perceber faltava uma semana para o natal e minha filha me questionando onde estava a arvore. Muitas pessoas já perderam o verdadeiro espirito do natal , pois essa época é magica, época que a família se reuni para festejar mais um ano.Realmente antes de toda essas redes sociais vivíamos mais, eu amo as redes sociais, mas tem hora que vejo o quanto elas interferem na vida milhões de pessoas. Beijos, parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei encantado com seu comentário. Vivemos no piloto automático. Já nos importamos tanto como antes. Que possamos fazer diferente daqui por diante. Desejo um feliz Natal e mande um beijo bem carinhoso para sua filha. <3

      Excluir
  6. Olá Leandro, que texto forte e marcante.
    Eu acho que todos nós vivemos correndo e, por conta disso, deixamos de viver. Não acho que só nessa época precisamos desacelerar, mas acho que é uma ótima época para praticar isso.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bruna, obrigado pelo comentário e desejo boas festas. Um beijo bem carinhoso.

      Excluir
  7. Olá! Que melancólico texto! Eu também sinto falta da magia de antes, mas eu sei que pode voltar a acontecer , bem, precisamos pelo menos tentar. Desconectar das redes, ligar para um amigo, mandar uma carta para alguém, sei lá, precisamos acender.
    Feliz Natal, Feliz Ano Novo! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcia, exatamente, precisamos acender, é o que tenho feito. Acender por dentro de modo que em meu entorno percebam a luz. Um beijo carinhoso e desejo feliz Natal. <3

      Excluir
  8. Que texto lindo! Adorei a sua sensibilidade, adoro entrar num blog e dar de cara com umt exto tão real, cru e tocante como seu. "A impressão que tenho é de estar num lugar em que tudo está desligado, sono profundo." Nessa frase você definiu bem o que eu sinto na maior parte do tempo. É triste como nem nessa época tão linda as pessoas não desaceleram, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laura, adorei você. Consigo sentir sua sensibilidade daqui. Obrigado, viu, pelo carinho e por ter lido o texto. É muito triste sentar numa mesa, onde poderiam surgir conversas sobre tantas coisas, e ver as pessoas com o celular na mão. Que consigamos mudar o percurso daqui pra frente. Um beijo grande e desejo um feliz Natal.

      Excluir
  9. Oi Leandro, eu também sinto uma falta enorme das luzinhas. As cidades ficam mais bonitas e alegres. Infelizmente a correria do dia a dia e este excesso de tecnologia estão deixando as pessoas reféns de si mesmas, fazendo-as perder momentos precisos do que realmente importa na vida.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uauuu... É exatamente isso. Que consigamos dar o verdadeiro valor pra vida enquanto há tempo, esse é o meu maior desejo. Aproveito para desejar boas festas e um feliz Natal.

      Excluir
  10. Olá leandro, primeiramente gostaria de parabeniza-lo pelo excelente texto acima. E segundo, esse ano também senti falta das luzes de Natal, não sei mais o povo relaxou...o Natal passou a ter um sentido banal e perdeu a sua religiosidade, acho que isso ocorreu também devido ao momento o qual estamos passando, muitas pessoas perderam a fé e preferem não arcar com as inúmeras despesas que estão por vir, assim buscaram reduzir a conta de energia evitando as lindas luzes.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel, obrigado pelo carinho. São tantas coisas que vem influenciando para que as pessoas desligassem o que levam de mais precioso dentro... Mas que a gente não perca a esperança. Foi um ano atípico. Que consigamos seguir em frente. Um beijo enorme e desejo um feliz Natal. <3

      Excluir
  11. Gente, que texto legal, infelizmente, hoje tudo é muito efêmero, a modernidade liquida deixou tudo muito rápido e muita gente não pode "tirar o pé do acelerador", fazendo o natal se tornar cada vez mais só mais uma data comemorativa. Enfim, é bem triste, não sei se fico notalgico, porque já nem me lembro de quando era diferente kdksgfdkgkfd Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem cita Zygmunt Bauman deve ser meu amigo, tá intimado, risos, o mundo está muito líquido a ponto de perder as referências. Você está coberto de razão. Adorei. Um forte abraço e desejo boas festas.

      Excluir
  12. Olá!
    Que texto ótimo para reflexão! De fato, hoje em dia a vida nos passa e não conseguimos aproveitar, sempre estamos preocupados com outras coisas muito menos importantes, uma pena.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carolina, a vida está acelerada por demais. Isso me deixa muito preocupado. É uma pena mesmo. Mas que não percamos a esperança. Desejo um feliz Natal. <3

      Excluir
  13. Poxa, que texto intenso... fico até triste por saber que é justamente dessa forma que estamos vivendo... e ainda dizem que minha geração foi da década perdida... nos anos 80 ainda haviam sonhos, magia e conexão real... hoje em dia, tudo se liquefaz, tem duração de um click...

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, exatamente. A vida tornou-se efêmera, as relações, a convivência. A egolatria ganhou tanta proporção que não tiramos mais os pês do acelerador. Um beijo carinhoso. Feliz Natal. <3

      Excluir
  14. Oii, tudo bem?
    Hoje em dia parece que as pessoas estão se importando cada vez menos com as tradições, está tudo acontecendo tão rapido e as coisas estão se desfazendo, e as vezes parece que as pessoas não sem importam :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Giovana, tudo bem, e contigo? Você está coberta de razão. Resta saber se isso é positivo ou negativo. Por um lado, acredito que seja positivo, por outro, tenho medo de perdermos todas as referências... Um beijo.

      Excluir
  15. Lindo texto, em alguns momentos senti como se visse uma parte da minha infância e que hoje infelizmente as crianças dificilmente irão ter... O mundo está se perdendo, esquecendo o quanto algumas coisas por mais simples que sejam são importante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Amanda, era isso também que queria expressar no texto e você captou. Obrigado, viu, o mundo está uma loucura. E as crianças estão deixando de lado o maravilhoso fantástico. Um beijo bem carinhoso. <3

      Excluir
  16. Olá amore
    Ai que lindo texto, de fato é triste ver o desânimo das pessoas nesse Natal.
    De fato a sociedade está sempre no piloto automático de uns tempos pra cá, isso me entristece demais também.
    Adorei o texto, repassando para alguns amigos aqui!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amore, que lindo seu comentário. Obrigado, viu, acho que no fundo as coisas, as pessoas, estão mudando. Não sei se pra bom ou pra ruim, mas o que nos resta é torcer para que daqui por diante tenhamos mais compaixão com o próximo. Um beijo e obrigado por compartilhar. Ah, estou seguindo o blog. <3

      Excluir
  17. Oiiiiiiiiie
    MEU DEUS, ALGUEM ESTA SE SENTINDO COMO EU HAHAHA eu to me sentindo exatamente assim, não vejo mais ânimos, luzes e tudo mais que existia quando era natal, as pessoas estão tao desanimadas que da um desanimo geral em comemorar a data, eu amei esse texto pois ele definiu meus sentimentos, parabéns pela escrita

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Catharina, obrigado pelas palavras tão carinhosas. Tudo apagou. Cruzemos os dedos para acendermos em 2017. São os meus votos. ;) <3

      Excluir
  18. Oi, tudo bem?
    Uau eu adorei sua escrita, a crônica está maravilhosa e me deu uma nostalgia ler sobre vaga-lumes e época natalina, concordo plenamente com tudo o que você retratou na crônica. Hoje em dia as pessoas estão muito preocupadas trabalhar e em dinheiro e esquecem de viver. Adorei sua crônica e espero ver mais obras suas por aqui!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kétrin, obrigado pelo comentário. Adorei você. As pessoas andam esquecendo-se delas mesmas, é uma pena. Que mudemos a partir de agora. Feliz 2017. Beijos.

      Excluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.