sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Preconceito ou Síndrome do Vira Lata? Porque Parte Dos Brasileiros Não Gostam de Nacional?(Por Mai Passos G)

Este texto, foi publicado originalmente pela autora Mai Passos G, em seu blog (http://www.maipassosg.com.br/) 

  
Há uns dois anos atrás eu li um desabafo de uma jornalista Holandesa que veio morar no Brasil por seis meses, e nesse desabafo ela falava que o brasileiro não gosta do Brasil, que diminui tudo o que é daqui, tirando logicamente o Futebol que é a única bandeira que eles têm orgulho em levantar. Nesse mesmo texto e ela explicou todas as coisas boas que encontrou no Brasil, e que não existe lá fora. Além disso ela disse a seguinte frase: 
  
“O brasileiro tem Síndrome do Vira-Lata, eles não se acham bons o suficiente, e tudo o que vem de fora é melhor” 
  
E não é que tudo isso é verdade? Brasileiro tem o dom de achar que tudo o que vem da “gringa” é melhor, os filmes, os livros, as músicas. Ele se desfaz do próprio país, da própria origem e enaltece o que não nos pertence. O que é, uma pena, pois somos ricos em diversas coisas, temos coisas que a “gringa” queria ter, quer ver só? 
  
- Somos o país com a maior Bacia Hidrográfica do Mundo, fica na Amazônia, em solo brasileiro. 
- O pulmão no mundo, lugar com a maior riqueza natural encontra-se na Amazônia, em solo brasileiro. 
- Sediamos todos os anos um dos maiores espetáculos do mundo: O carnaval, e embora muitos critiquem, continua sendo uma das maiores comemorações do mundo, e as “gringa” faz fila no avião pra vir ver. 
- O Rio de Janeiro é tombado patrimônio Cultural da Humanidade, e o povo lá de fora vem só pra conhecer. 
- Nossa música é muito premiada lá fora, além de filmes. Amores, Oscar é só para filme Estadunidense, o maiores Prêmios de TV, Cinema, Radio e Música, tá cheio de brasileiros concorrendo. Atores e Atrizes indicados e com prêmios vindo Diretamente do Emmy, maior prêmio da TV Mundial. 
- As Agências Publicitárias Brasileiras são as mais premiadas do mundo. 
  
O Brasil tem muita coisa boa, e embora estejamos em meio a uma das maiores crises Política e de Corrupção da História desse País, nós continuamos aqui, não é? 
  
Mas, entrando no assunto principal do artigo, tem muito leitor brasileiro que não lê o que é daqui. As justificativas? Tem várias, mas a pior de todas é: “não leio nacional, porque é tudo uma porcaria” eu fico chocada! Chocada mesmo! Além de termos grandes nomes de Literatura Clássica Brasileira, que são referências mundiais, temos diversos autores e autoras nacionais contemporâneos que são extremamente talentosos! 
  A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo
O problema não está em todo mundo achar que o que vem de fora é melhor, o problema está, também, nas grandes editoras que investem e publicam somente o que vem de outros países, principalmente dos EUA. Estórias que em sua grande maioria tem 90% de enredo repetido, muitas vezes, uns são cópias de outros. Outros sinceramente são horríveis, e onde estão? Na vitrine de grandes livrarias tirando o lugar do Autor Nacional que tem uma estória digna de filme! 
  
Além da falta de incentivo das editoras e até do governo, muitos livros são engavetados pelo próprio autor. Você aí que tanto critica o trabalho de nossos conterrâneos, sabe as dificuldades diárias que enfrentamos? Você nunca se dignou a ler um livro de uma autora nacional, você apenas tem em sua cabeça que tudo o que é daqui é ruim, você acha que o brasileiro não tem capacidade de fazer nada descente?  
  
O Autor nacional é tão, ou mais talentoso do quem vem de fora, mas você prefere seguir a cartilha do que impõe a você, e não arriscar e descobrir muitos talentos que temos aqui. É muito, muito triste que nosso próprio povo não acredite na gente. É triste que não exista uma leia que proteja o autor nacional e obrigue a editoras a investir no que é daqui, no que é patrimônio nosso, de todos nós. Se um autor fica famoso mundialmente, ele não leva só o nome dele para fora, ele leva o nome do nosso país, assim como fez Paulo Coelho, Mário Quintana, Lygia Fagundes Telles.  
  
Apenas pare. Pare com seu preconceito bobo, acredite que nosso povo também é capaz, que temos grandes talentos e que precisamos investir neles 
  
Logo aqui deixo uma lista de Autores Nacionais para você ler. 
  
Nanah Zoti – autora de Romance/Fantasia, autora de Maya e Diana da trilogia Prometida, atualmente postadas no Wattpad. 
M. Valcan – autora de O Casamento Secreto da Princesa e My Princess, atualmente postadas no Wattpad. 
Bianca Briones – autora da série Batidas Perdida e do Livro Como se Fosse Magia. 
Cristina Valori – autora de Escolhas e Se eu te perder. 
Evy Maciel – Autora da série “Homens que Amamos”  
Mai Passos G – eu mesma, autora de Sofia. 
Geyse Ribeiro – Autora de Amor às Escuras. 

Milla Wander – autora de Diário de um Cumplice. 

30 comentários:

  1. Parabéns pelo texto tanto pela sua parte quanto a da holandesa. Acho que é um tema bem delicado mesmo. Infelizmente eu tenho um pouco deste complexo que prefiro o la de fora. Mas tem umas coisas que prefiro mesmo aqui do Brasil. Parabéns. Gostei muito.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Oiee ^^
    Eu cresci ouvindo a minha irmã dizer que não gostava de livros nacionais e que eram todos ruins. Só fui mudar de opinião quando criei o blog, e comecei a conhecer e a conversar com os autores. Acho que, hoje, metade dos meus livros são nacionais, e eu fico (também) chocada quando vejo alguém dizendo que os nacionais são ruins. Gente, são tantos os nacionais que eu favoritei! Dos autores que você indicou, eu gostei bastante de "Escolhas", da Cristina Valori e de "As batidas perdidas do coração", da Bianca. Os outros eu ainda não li.
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  3. Atualmente está sendo um tema bem complicado de ser lido, pelo tamanho de preconceito que podemos que dizer que sim existe, a nossa literatura não está mais sendo tão valorizada como antes, vou procurar saber mais sobre as autoras que tu citou abaixo <3
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  4. Quanto à literatura nacional, eu tenho total convicção de que ela é linda e vasta e eu posso citar todos os autores que escrevem maravilhosamente bem e que todos devem conhecer, mas isso demoraria muito. O que eu acredito é que essa falta de apoio vem de uma história muito longa, e esta começa com a educação em casa e na escola. O brasileiro, e obviamente eu estou me incluindo nisso, realmente tem esse problema. Gostei muito do seu desabafo. Parabéns.

    colecoes-literarias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Mairton.
    Primeiro quero dizer que adorei seu banner de Natal *-*

    Segundo, a minha resposta para o questionamento do início do Post é: preconceito.

    Acredito que nós mesmos temos vergonha de acreditar ou apoiar um autor nacional que não seja consagrado, visto que o boom literário aconteceu depois que grandes livros internacionais viraram filmes, na minha opinião. Eu como autora, sofro esse preconceito e sofro ainda com as "richas" entre leitores que fazem questão de as vezes detonar determinado autor em favor de outro. Fora a máfia dos PDFs que hoje já não me incomoda mais. Emfim, se não mudarmos nossas mentes, seremos sempre o reflexo do que vem de fora.
    Bjks

    ResponderExcluir
  6. Olá! Acho que esse preconceito veio da época da escola, com leituras obrigatórias, na verdade, muitos não gostam de ler por isso. Os livros nacionais são ótimos! As histórias são ótimas, claro que tem um ou outro que não vamos gostar. MAs, a qualidade editorial brasileira não deixa a dever para nenhuma lá de fora. Eu leio os dois, nacional e internacional. E tenho percebido que o interesse por nacionais aumentou bastante, ainda bem que estão valorizando mais. beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
  7. Olha perfeito esse texto e porcarias existe em qualquer país.
    Acrescento à lista
    Adriana Vargas, Eduardo Spohr, André Vianco, Laura Conrado, Márcia Rubim,Marcella Rossetti, Edna Guedes, Ligia Miraglia, Samanta Holtz, Renata Ventura, Douglas Lobo... Meu! Se eu for colocar aqui vai dar um post.

    ResponderExcluir
  8. Olá, amei o post, eu não dava muitos chances para os autores nacionais até que li Batalha do Apocalipse do Eduardo Spohr e me apaixonei pela narrativa dele, hj já li mais alguns nacionais como Carolina Munhoz, Bianca Briones, Carina Rissi, Paula Pimenta e tenho mais uma lista imensa de autores nacionais que eu quero ler mas ainda não tive a chance. =)

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Não posso começar o meu comentário sem dizer que a Mai lacrou com esse texto. E só li verdades!
    Vou confessar que há um ano e meio, antes de criar meu blog (www.salaliteraria.com.br), também tinha um enorme preconceito com livros nacionais. Não acha que todos eram ruins, mas porque só tive contato com livros clássico da literatura brasileira e apenas os mais antigos, com escrita super difícil. Tudo mudou quando li o livro Procura-se um marido da Carina Rissi, e quando descobri que ela era autora nacional, fiquei de queixo caído. Realmente não espera.
    Hoje, acho que li mais livros nacionais do que gringos e posso dizer com toda certeza que li mais livros nacionais bons do que livros gringos bons!
    Vou deixar aqui algumas sugestões de autores nacionais que conheci esse ano e amei!
    Mai Passos G, sim a autora. O livro Sofia é muito bom e estou lendo no momento.
    A. Britto
    Letícia Godoy
    Nicholas Vernetti
    Daniel Gasparin
    Mariáh Santos
    Esses são apenas alguns que li recentemente e adorei.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Desde antes de ter o Literatura de Mulherzinha, o meu critério de escolha sempre foi ler uma história que me divertisse ou emocionasse, não importa a origem. Livros bons e ruins existem em todas as línguas. Passa pelo que a Suzana citou no comentário a forma como a Literatura é apresentada em sala de aula e pelas escolhas das editoras em priorizar determinadas temáticas e pelo custo que envolve investir em algo sem saber se dá retorno. Ainda mais durante esta famigerada crise, só quem ama muito manteve a compra de livros, infelizmente ainda considerado artigo supérfluo. Por isso somos importantes para garimpar autores, cobrar deles e das editoras obras de qualidade. Modismos passam e os bons trabalhos permanecem. Trabalhemos por isso!

    ResponderExcluir
  11. Oi.
    Muito boa a sua postagem e seu questionamento!
    Já tinha lido o desabafo dessa jornalista Holandesa, mas nunca deixo de apreciar a veracidade no que foi escrito!
    É triste que, em nosso país, além da leitura não ser tão estimada por todos, a nossa literatura também não é, pois exitem muitos autores e livros, competentes e maravilhosos, que só teriam a nos enriquecer e apaixonar com sua leitura. Mas, acredito que o problema não é só das editora e governos, mas essa cultura enraizada que está em nós de achar que a grama do vizinho é melhor do que a nossa, e o fato de que os produtos deles terem maior visibilidade e propaganda do que os nossos.
    Bem, são tantas questões para se levantar e discutir sobre o assunto, mas vou me deter por aqui. Obrigada!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  12. Olá!!
    Realmente, é uma realidade que o brasileiro não incentive a própria cultura e enalteça apenas o que vem de fora. Parece que a maioria é levada a seguir o fluxo que acondiciona esse estado de "vira lata". O que é muito triste, pois eu sou uma dessas pessoas que acredita na cultura e principamelte na literatura nacional, seja pelo contexto histórico riquíssimo que são nossos clássicos ou por nossos autores contemporâneos. Devemos sim, incentivar mais a produção cultural nacional. Senão, qual será o legado que deixaremos para a geração que está chegando? Existem muitos talentos que ainda serão descobertos e eu anseio por eles! Parabéns pelo seu repost e pela autora do artigo, tão reflexivo e necessário para uma conscientização sobre nós mesmos! Bjs
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem por aí?

    Eu estava discutindo exatamente isso com um amigo meu hoje. Infelizmente, a maioria dos brasileiros é assim mesmo. Eu adoro muita coisa que vem de outros países, mas eu também sei exaltar o que é brasileiro, o que é NOSSO. E eu fico muito feliz quando vejo autores brasileiros fazendo um sucesso estrondoso, pois a gente tem que valorizar mesmo. O Brasil é lindo em diversos aspectos, e nós devemos reconhecer essa beleza.

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  14. Olha, eu não sei se concordo com seu texto. Aliás eu concordo em partes. Acho que o Brasil tem excelentes escritores sim, assim como excelentes filmes e etc, mas do mesmo jeito que tem gente boa, tem muito escritor ruim e não é porque sou brasileira não. Não sofro dessa sindrome aí, mas sou crítica tanto quanto o daqui quanto com o de fora. Verdade seja dita que quando se trata de romance os brasileiros estão presos ainda em um pós 50 tons de cinza (tem as excessões), ao contrário dos internacionais que estão diversificando temáticas e fazendo livros maravilhosos (também tem porcaria). Então não se trata de ser brasileiro ou não, e também não se trata de dar valor ao internacional ou não, trata-se de ser crítico. Assim como todo lugar, temos coisas muito boas e temos coisas muito ruins. Os gringos também são assim.

    Concordo com as dificuldades e concordo com as questões das editoras, realmente elas investem muito mais em livros internacionais, talvez seja mais barato, não sei. porém, nos ultimos anos eu to vendo uma inversão nisso, a prova é a Samantha Holtz, Nana Pauvolih, Mila Wander, Camila MOreira, Babi A. Sette, entre outras.

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem?

    Super bacana o texto. Dia desses li uma reportagem de um jovem americano que veio passar férias aqui e esboçou uma opinião similar. Sinceramente? Não concordo. Principalmente porque turista tem um olhar diferenciado. Quero ver trocar país de primeiro mundo pelo Brasil, e ficar por aqui ganhando em real e tendo que se sujeitar a tudo que é de conhecimento nosso..

    Enfim, achei bacana o texto e esse olhar diferenciado. Penso que muitos brasileiros de fato têm a síndrome do vira lata, mas também acredito que é muito fácil entender o que motiva esse tipo de pensamento. Não posso falar pelas outras pessoas, mas vou dar minha opinião pessoal, ok? Vamos lá.

    Com relação a enaltecer o que vem de fora. A gente pode partir do princípio que muito do que é feito lá fora é de extrema qualidade. Filmes, séries, livros. Isso não significa que o Brasil não ofereça produtos de qualidade, vide séries premiadas, filmes belíssimos que recebem reconhecimento internacional, livros que são sucesso de vendas. Mas a produção cultural dos estilos que citei têm uma velocidade muito maior do que o que é produzido aqui. Também um cuidado maior voltado para a 'venda' do produto.

    Quando a gente fala de cultura voltada para belezas naturais, sem dúvidas o Brasil tem possibilidades fantásticas para oferecer. Já morei em diversas cidades turísticas (Belém, Fortaleza, Maceió, São Paulo, Foz), e já visitei muitas outras. A falta de estrutura, falta de segurança e aquele jeitinho brasileiro de sempre se dar bem nas costas alheias, tendem a tornar vivenciar essas experiências muito mais difícil. Então se a gente pode juntar dinheiro e viajar para a Disney ao invés do Nordeste, a gente vai. Sabe por quê? Porque é possível andar com mochila nas costas, celular no bolso. É possível parar para tirar uma foto sem ter a câmera roubada. Porque as compras que fazemos são transparentes com relação ao imposto que deve ser pago, e os preços são justos, sem a sobreposição de taxas que enriquecem os que já são ricos...

    No fim das contas, não é só enaltecer o que vem de fora. É ter consciência para perceber que lá fora, muitos lugares oferecem possibilidades e qualidade de vida que aqui, infelizmente, são utópicas. A não ser que você seja branco e rico. Daí é outra história.

    Sugestões de autores nacionais:

    Romances de época e contemporâneos: Babi A. Sette
    Terror/Suspense: Raphael Montes
    Fantasia: Raphael Draccon

    E tem tantos outros... O Brasil tem talento demais. E leitor que e leitor, aproveita tudo o que o mundo literário oferece, independente da origem da obra.

    beijo

    Leitoras Inquietas

    ResponderExcluir
  16. Helloo, tudo numa nice?!
    Bem, eu concordo somente em partes com seu texto porque não podemos generalizar.
    Primeiro, quanto aos atrativos do nosso país. Tem muita coisa boa mesmo aqui, mas colocar o carnaval como um símbolo não é legal e nem chega perto de mensurar a grandeza do nosso país e de tantas outras qualidades exuberantes que deveriam ser realmente mostradas. Quando chegamos a fundo de cada região esquecida ou lugar que seja, aquelas coisinhas interessantes que vemos e encontramos quando vamos para regiões montanhosas e coisas do tipo. Em algumas viagens já encontrei tantas coisas interessantes e bonitas que deveriam ser vistas com mais frequência. Enfim, é só uma opinião e estou ressaltando um ponto que realmente discordo.
    Outra questão é que é realmente difícil um autor brasileiro se publicado. Sou autora e encontro certa dificuldade nesse âmbito nem por isso deixo de escrever ou falar de minhas estórias. A questão é que da mesma forma que tem autores muito bons por aí, tem autores que escrevem estórias muito ruins. A vibe depois de 50 tons explicita isso porque a quantidade de livro erótico que rodeia a Amazon é exorbitante. De qualquer forma, não deveria ser imposto às editoras publicarem nacional, na verdade, a gente nem deveria categorizar como sendo nacional. É tudo literatura. É um livro. Uma estória. Enfim, não acredito que deveria ser imposto, deveria partir deles mesmos. Eles apostam no que vai render dinheiro a eles.
    Enfim, esse texto rende bastante discussões mas não vou me estender muito.
    Mas devemos aproveitar o que o mundo dos livros oferece simplesmente.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Não tenho preconceito com autores nacionais e leio tudo o que para em minha rede, por assim dizer. Mas entendo o que você disse no começo de sua postagem e acho que muitas pessoas tem mesmo preconceito com o Brasil e quer menosprezar o que temos, acabam não valorizando nada, sabe? Nós temos muitas coisas negativas, assim como temos positivas, mas é aquele negócio: a cada uma coisa errada que fazemos, ninguém lembra das positivas.
    Sua postagem me fez refletir bastante e gostei disso.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  18. Oi Mai, sua linda, tudo bem?
    Eu peço licença, pois vou descordar da holandesa. Não acredito sinceramente que tenhamos esse complexo. Acho que na verdade é cultural, remonta ao descobrimento do nosso país. Nós culturalmente fomos doutrinados a valorizar e principalmente a consumir o que vem de fora. A prova, agora falando especialmente de livros, é que a maioria das pessoas que não leem nacional, sequer conhecem o livro nacional, isso em minha opinião. Eu não gosto muito da terminologia nacional. Na verdade, a nacionalidade do autor é que pode ser a mesma que a do leitor ou não. Isso não tem nada a ver com o livro, criaram uma classificação, ao meu ver, sem propósito. Eu gosto de ler e procuro livros por tema e por críticas. Eu gosto muito de postagens que discutam um assunto, traga mais!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Acho que a valorização dos autores nacionais é algo que, apesar de ainda muito pouco, tem começado a acontecer um pouquinho mais e é uma mudança que eu fico muito feliz de ver, espero muito que nossos autores encontrem seu lugar ao sol. Não acho que os livros nacionais são todos ruins, mas também acho que deva existir um bom filtro, tem muita gente escrevendo qualquer coisa por escrever, sem trazer nenhuma contribuição com aquela história vazia e cópia do que vemos por aí (assim como temos muitos livros estrangeiros que entram nessa mesma problemática). Eu adoraria ver editoras comprometidas em trazer livros nacionais com potencial que nós sabemos que existem.
    Ótimo tema para debate!
    Beijos,

    Luana

    ResponderExcluir
  20. Olá, uma coisa que eu não tenho é preconceito com autores nacionais, a história sendo bem contada, para mim não interessa quem escreveu ou de que país ele é.
    adoro as historias brasileiras e sempre me surpreendo com elas e como elas são boas e bem escritas e ainda tem aquele bom humor brasileiro na maioria, pois adoro chick lit brasileiros, são bem melhores que os dos eua pra mim

    ResponderExcluir
  21. Sim, esse problema das pessoas acharem que o que é de fora é melhor existe e é bem comum, infelizmente. Às vezes indico livros pra amigos que pesquisam e depois vêm me falar: "mas aquele é nacional, né? Não tem outro?". Fico irada quando ouço algo assim, porque temos livros nacionais excelentes em tudo que é gênero - claro que temos ruins também, como os estrangeiros. Enfim, eu só ouço música nacional se puder escolher, e espero que todos um dia dêem mais valor ao que temos por aqui.

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    De fato sofremos com essa síndrome de vira lata. Eu mesma às vezes faço várias coisas para desvalorizar nosso país inconscientemente e estou me policiando para isso não acontecer mais, para aos poucos ir mudando o meu pensamento.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  23. Já tinha lido esse texto da Mai e acho importantíssimo divulgarmos. Sim, os brasileiros tem a péssima mania de se diminuir. Eu vejo isso quando converso com amigos e suas playlists estão lotadas de cantores internacionais, suas estantes estão cheias de livros traduzidos e quando vamos ao cinema, é quase impossível convencê-los de assistir um filme nacional. E eu me entristeço com isso.
    Felizmente, eu adentrei nesse mundo literário através de um autor nacional. Meus pais sempre ouviram mpb, então isso também é um problema. E eu adoro cinema nacional e vejo a evolução que ele vem tendo.
    Só que eu sou uma exceção. Isso é muito triste.
    O brasileiro vê o que cria e não acredita em si mesmo. É horrível. Temos baixa auto-estima e isso precisa ser mudado.

    ResponderExcluir
  24. Oiii, tudo bem?
    Temos que dar mais valor a literatura nacional, pois existem tantos escritores brasileiros maravilhosos que escrevem historias incríveis assim como os internacionais.
    excelente post, amei.
    Abraços Mary ;)

    ResponderExcluir
  25. Olá!

    Caramba, que matéria mais bacana, adorei o texto e o achei super verdadeiro. Infelizmente vemos muita gente desvalorizando o mercado literário brasileiro e muitas delas não bem generosas em relação à depreciação, o que é realmente uma pena. Essa é uma realidade não só no mercado literário, mas num contexto em geral. No mercado cinematográfico então, isso chega a dar raiva. Graças a Deus sempre li nacionais e sempre soube apreciar o nosso mercado, sempre que posso estou divulgando autores nacionais em meu blog. Nosso país tem muita coisa boa e precisamos reconhecer isso.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  26. Eu acho essa questão de falar de preconceito muito complicada. É muito chato ele existir, sabe? Mais chato ainda a galera preferir os estrangeiros. Na minha opinião as editoras contribuem para esse preconceito ao publicarem, em suma, estrangeiros, e os nacionais, quando publicados, não são bem divulgados. Isso é muito chato, fora que as vezes, os livros nacionais tem um preço salgado...

    ResponderExcluir
  27. Oi, tudo bem?
    Realmente nunca entendi muito bem o porque dos brasileiros não gostarem de nacionais, eu super apoio e adoro, mas já vi muito preconceito literário por aí. Gostei muito do seu post e de ver seu ponto de vista, muito sincero e usou boas palavras.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  28. Oie
    Tudo bom?
    Realmente temos síndrome de vira lata e muitos acham que o que vem de lá de fora é melhor.
    Com relação a nossa literatura, confesso que não gostava dos clássicos, mas os contemporâneos estão aí arrasando com várias histórias maravilhosas e acho esse preconceito terrível, quando todos valorizarem o que temos nosso país será bem melhor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  29. Não faço parte do grupo que acredita que só o internacional tem valor. No quesito literatura, leio muitos nacionais de qualidade, alguns tão originais e bem escritos, que nada devem a gringa. Da sua listinha de autores brazucas, só li a Briones e só gostei do primerio livro. Mas recomendaria Claudia Lemes, Carina Rissi, Bruno Godoi e tantos outros. temos muito talento na nossa casa!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  30. Oi, flor. Eu leio, basicamente, só nacionais contemporâneos. Desde que tenho o blog, minha meta de leitura passou a ser composta apenas de autores nacionais. Adooooro. Muitas pessoas me perguntam, no entanto, ONDE encontro esses livros e esses autores tão bons? Isso porque nunca ouviram falar nem de um, nem do outro. Eu encontro por meio dos blogs, é verdade. Por meio das redes sociais. E por meio das parcerias que estabeleço quando os autores me procuram. Não culpo, portanto, quem não lê nacionais por falta de acesso aos blogs. Sem eles, honestamente, acho que também nunca descobriria esses livros fantásticos que já li. :/

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.