sábado, 24 de dezembro de 2016

Entrelinhas por Suellen Mendes: Christmas Dreams - Feliz Natal! (Final)

Christmas Dreams
Por Suellen Mendes
 Resultado de imagem para feliz natal
Feliz Natal!
Carol

25 de dezembro

- Bom dia, minha princesa! Feliz Natal! – a voz de Lara sussurrada em meu ouvido fez surgir um gostoso arrepio em minha pele.

- Bom dia, meu amor! – falei logo após depositar um delicado beijo em seus lábios. Vê-la daquela forma, tão encantadoramente linda com os cabelos ruivos despenteados de cama e os olhos cor de avelã me encarando e fazendo acender em mim a centelha de que finalmente havia encontrado a pessoa certa com quem dividir a minha vida, só fez reforçar a minha decisão de contar a verdade sobre a minha sexualidade ao meu pai e à minha madrasta. – Hoje falarei com eles. Não posso mais esconder da minha família o que sinto por você.

- Você tem certeza? Se precisar de mais tempo podemos esperar. – como sempre, sua voz era carregada de gentileza e afeto.

Lara sabia exatamente o quanto era difícil, em uma sociedade extremamente preconceituosa, assumir perante o julgamento dos outros aquilo que de fato se é. Prova disso foi o que ela passou ao contar para seus pais que preferia namorar meninas a namorar meninos. No caso dela, as coisas foram mais difíceis, pois além de assumir-se homossexual, Lara precisou confessar os abusos sofridos com o seu primeiro (e único) namorado, o filho de um querido amigo de sua família. Até hoje os pais de Lara ainda não acreditam no que ela lhes disse, preferindo ignora-la. É lógico que eles não merecem o meu respeito por essa atitude tão descabida! Mas, mesmo assim, ainda espero que os três possam se entender algum dia.

Após tomarmos o nosso café, vestimos algo adequado para passar o almoço de natal com minha família. No meu caso, um vestido levinho de algodão era a melhor pedida; já Lara optou por uma camiseta vermelha e um shortinho jeans, os cabelos cortados na altura dos ombros estavam presos em um rabo-de-cavalo, enquanto os meus desciam em cascatas pelas minhas costas. Uma bailarina clássica é uma Dj, assim éramos – ambas completamente apaixonadas pela música.

Estava penteando meus cabelos quando Lara se aproximou.

- Feche os olhos. – pediu. Porém não obedeci de imediato.

- Pensei que não iríamos trocar presentes. – quis lembra-la do nosso combinado.

- Combinamos de não gastar dinheiro em presentes, e foi exatamente o que fiz. Agora anda, feche os olhos.

Lara e sua mania de sempre dar um jeitinho de satisfazer suas vontades... Há quatro meses decidimos dividir um apartamento, e desde então estamos nos adaptando à rotina de sermos independentes, pagar contas, cuidar de uma casa... esse tipo de coisa. No primeiro mês foi complicado, o orçamento apertou e precisei recorrer ao meu pai; no segundo, parecia termos aprendido a lição e finalmente o dinheiro deu, mas não rendeu; então no terceiro mês começamos a cortar os excessos e prometemos não estourar o orçamento com presentes de natal no mês seguinte. A Lara não pareceu gostar muito da ideia de não me dar um presente, mas no fim acabou concordando; é por isso que o fato de estar agora de olhos fechados em frente ao espelho do banheiro enquanto ela desliza a fria corrente de metal em meu pescoço era estranha.

- Pode abrir!

Arregalei os olhos ao ver o cordão de Lara e o pingente que era de minha mãe sobre a minha pele.

- Você consertou! – disse ao ver que a peça, antes sem a argola, estava agora perfeita e polida como se fosse nova. As lágrimas me vieram aos olhos, não havia como descrever minha emoção. Perdi a minha mãe quando tinha cinco anos e desde a sua morte carregava aquela medalha comigo. Há umas semanas, enquanto voltava do estúdio de dança sofri um assalto e o ladrãozinho arrancou o colar do meu pescoço com muita força, machucando minha pele; após sua fuga, abaixei-me na rua em busca do pingente; fiquei tão aliviada por encontrá-lo que nem me preocupei com o fato de que estava quebrado. No entanto, Lara percebeu minha tristeza por não poder usar a joia de minha mãe.

- O Miguel me ajudou. – disse se referindo ao primo que trabalhava em uma loja de penhores. – Ele conhece um ourives que restaurou o pingente por um valor quase insignificante.

- Você não tem jeito, né?! – falei com os olhos embaçados pelas lágrimas, depois a beijei. – É por isso que te amo!

- Eu também te amo, Carol!

****

Chegamos à casa do meu pai e tudo estava uma loucura. Como sempre!!! Ester terminava de colocar o peru na mesa, enquanto Manuela ajudava com as tortas e Cammy servia as batatas recheadas.

- Finalmente vocês chegaram! – Rafael falou me abraçando. – Só estávamos esperando vocês para dar a grande notícia!

Oh! Ele certamente já sabia sobre o meu sobrinho (ou sobrinha).

Olhei ao redor, porém não vi Augusto em lugar algum. – E o Guto, cadê?

Cammy ficou um pouco sem jeito antes de falar. – Ele já vem, está terminando de se vestir.

- E como você sabe? – imediatamente recebi um cutucão de Lara. – Seja discreta! – ela sussurrou em para mim.

- Venham, meninas! Sentem-se! – chamou Ester. Caminhei até ela e lhe dei um beijo no rosto, em seguida fui até meu pai, que se mantinha sentado à cabeceira da mesa como fazia todos os anos. Dei-lhe um grande abraço de urso e enchi de beijos suas bochechas rosadas. Era bom ver que ele devagarinho vinha se recuperando. Recentemente todos levamos o maior susto com ele. Papai havia sofrido um infarto, porém foi atendido a tempo e agora podemos celebrar em família. Todos juntos! É por isso que Cammy finalmente aceitou passar o natal conosco, mesmo depois de tantos anos fugindo do que sente por Augusto, nosso meio irmão. Falando nele...

- Oi, maninha! – disse beijando o meu rosto.

- Tudo bom, Lara? – perguntou ao abraçá-la.

- Tudo.

- Bem, agora sim não está faltando mais ninguém. – Rafael comentou ao ver todos sentados à mesa.

Percebi que Guto sentou-se ao lado de Cammy e ignorando a forma como todos olhavam para eles, aproximou-se dela e beijou-lhe a bochecha. – Teve uma boa noite? – o sorriso nos lábios dele e a forma como como ambos se olhavam...

- Mas que merda, vocês transaram!?- imediatamente tapei minha boca. Agora a atenção estava toda em mim. – Quer dizer... Bem...

- Na verdade... Nós fizemos amor! – foi a resposta de Cammy.

- Caralh... – a mão de Manuela voou para os lábios de Rafael, impedindo-o de continuar com o que ia dizer.

- Bem... – começou o meu pai – já estava na hora. Quem sabe agora possamos ter toda a família reunida nos próximos natais.

Guto e Cammy se olharam surpresos. Então começaram a rir. E como se quisessem oficializar ao mundo o que sentiam, meu irmão postiço agarrou o rosto de minha gêmea beijando-a de uma forma tenra e apaixonada.

- Então, Cammy... Acho que isso quer dizer que não preciso mais te beijar. – comentou Ivan.

- Definitivamente não, boy! – respondeu Augusto.

Um suspiro e então... – Que pena! Não por não precisar beijá-la, mas porque ainda tinha esperança de beijar você!

Uma uva voou no peito de Ivan. – Só nos seus sonhos, boy! – ele imediatamente pegou a fruta e levou-a a boca, mastigando-a enquanto piscava para Cammy, que em silêncio lhe agradecia e gesticulava um “eu te amo!” para o amigo.

- Sobre os próximos natais... – Rafael recomeçou o que estava ansioso para dizer – a partir do ano que vem teremos mais um membro na família.

Ester levou as mãos a boca. – Oh, Meu Deus! Vou ser vovó?!

Com os olhos submersos em lágrimas Manu sorriu. – Vai sim!

Todos aplaudiram e papai, Ester, Rafa e Manuela se abraçaram demoradamente. Depois foi a vez de cada um de nós parabenizar o casal afortunado.

- Este sem dúvidas é o nosso melhor presente. – pisquei para Manu enquanto pousava minha mão em seu ventre.

- Vou pegar a sobremesa. – Cammy se levantou.

- Eu ajudo! – se ofereceu Guto.

Nossos pais sorriram ao vê-los se afastar. Depois que voltaram - a Cammy agora sem nenhum batom na boca - começamos a saborear a torta alemã feita por Ester. Minha madrasta é maravilhosa na cozinha! A Diva das Panelas, como chamamos. A cada colherada no doce, eu tomava um fôlego de coragem e quando finalmente me senti pronta, falei:

- Eu também preciso contar uma coisa para vocês!

Agarrei a mão de Lara e ela sorriu ao dar um leve aperto em minha mão como prova de apoio.

- Eu e a Lara... Bem, nós... – minha garganta ficou seca.

- Vocês são um casal. – completou o meu pai.

Não era uma pergunta e sim uma afirmação.

- Bem, sim! - Desde quando ele ficou tão esperto? – O senhor já sabia?

- Ora, maninha, não se surpreenda! – falou Rafael – Você não percebeu que nada escapa do olhar atento desse velho bruxo?

Era verdade.

- E... Tudo bem para o senhor? – perguntei.

Meu pai sorriu. – Você é feliz? – perguntou.

- Sou.

- Vocês se amam? – voltou a perguntar agora olhando para nós duas.

Nossos olhos se procuraram e juntas respondemos – Muito!

Os sorrisos de Otávio e Ester se alargaram – Então nós também estamos felizes! O que importa é o que vocês sentem. Não importa quem você ama, minha filha. – as mãos de papai vieram ao meu rosto. – O que importa é que este alguém lhe ame de volta. E eu sei que esta menina – disse levando uma mão ao rosto de Lara – te ama muito.

Eu o abracei. – Eu te amo, papai!

- Eu também te amo!

Ao fundo ouvi a voz da Cammy: - Eu definitivamente amo o Natal!

***
 Resultado de imagem para christmas dreams
Oi, meus lindos!
Este foi o último conto de Christmas Dreams, espero que vocês tenham se deliciado ao ler cada uma dessas estórias, assim como eu me deliciei ao escrevê-las. Toda vez que encerro um trabalho, sinto uma pontada de saudades desses personagens que me acompanharam durante tanto tempo; acreditem o mesmo está acontecendo agora com Cammy, Guto, Manuela, Rafael, Carol, Lara, Otávio e Ester. Mas quem sabe eles não voltem a nos visitar no próximo natal? Afinal, sempre há mais coisas a serem contadas não é mesmo?
Desejo a todos um Feliz Natal! 🎁☃E que o Bom-velhinho preencha os lares de vocês com bênçãos sem medidas!
Até a próxima!
Beijinhos!!!😘😘😘


4 comentários:

  1. Olá, tudo bem?

    Owmm que conto mais gostoso para se ler no Natal. Amei. Parabéns a autora pela historia linda. E para todos vocês um feliz natal, repleto de muita luz, bençãos, paz e felicidades. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Faby! Você é uma querida, e leitora fiel!
      Agradeço por acompanhar Entrelinhas, sempre vibro com os seus comentários!
      Desejo um ótimo natal a você e toda a sua família!
      Beijão!

      Excluir
  2. Oie!!
    Q lindo!!! Adorei!! Principalmente a forma como vc escreve. Muito bom.
    Q família linda!! Seria tão bom se essa "naturalidade" fosse encontrada em todas as famílias. Muito amor!!
    Parabéns pelo texto.
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, lindinha! Tudo bem?
      Agradeço por deixar sua opinião sobre o texto. É sempre muito gostoso ler que a forma como escrevo agrada a quem leu algum dos meus textos. Você alegrou minha noite!
      Também gostaria que essa "naturalidade" fosse encontrada em todas as famílias, somente assim - com tolerância, respeito e amor- podemos encontrar a verdadeira felicidade!
      Um ótimo natal para você e sua família!
      Beijinhos!

      Excluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.