sábado, 3 de dezembro de 2016

Entrelinhas: 7 Dias Para Se Apaixonar - Domingo - Final

Boa noite, meus queridos!
Hoje meu coração está mais acelerado do que em todas as outras publicações. Foram sete dias de muita expectativa, medo e alegria. Há um misto de ansiedade em saber a opinião de vocês, em não querer decepciona-los, mas ao mesmo tempo de não poder ser injusta com esses personagens que aos poucos conquistaram o coração de vocês e, principalmente, o meu. Espero, de fato, que vocês gostem do final que escolhi para esta etapa da história (havia várias possibilidades, mas - como disse - tentei ser o mais justa possível com Vinícius e Mel). Não esqueçam que este não é o fim da história, em breve lançarei a segunda parte deste romance. E, como prometi, a partir de segunda(05/12), a história será postada no Wattpad. Mas as surpresas não param por aqui... Sete dias para se apaixonar virará livro físico e, em breve, vocês poderão levar Vini e Mel para suas casas. Prometo mantê-los informados por aqui sobre o lançamento.

Acompanhe esse final emocionante, ouvindo Boyce Avenue - 7 Days, a música que inspirou todo este enredo: 



Beijinhos e ótima leitura!

Domingo


Aos poucos fui recobrando a consciência. A confusão de pessoas e sirenes tornava tudo um caos; porém, em meio a toda aquela confusão, o toque de Mel me confortava.

- Ai, meu Deus! Graças a Deus você está vivo! – Mel me agarrou e eu aproveitei a sensação, em seguida olhei atentamente para o seu rosto e senti meu peito se apertar ao vê-lo dominado pelas lágrimas.

- Eu estou bem, Pimenta! Juro!
- Vini, por favor, ele atirou em você?! Como podes dizer que estás bem?
- Mas graças a Deus foi superficial. Né, irmãozinho? – Vicente falou ao se aproximar. – Como se sente?
- Bem. Mas o que você está fazendo aqui? – eu realmente estava surpreso por vê-lo entrar na ambulância conosco.
- Eu te liguei a pedido do papai, a Mel atendeu e contou o que estava acontecendo, chamei uma ambulância e a polícia no caminho pra cá. – explicou.
- O Walter está na delegacia, por sorte o Oscar reagiu e conseguiu deter o agressor. – Mel disse referindo-se à ajuda dada pelo segurança do prédio em que ela mora.
- Não se preocupe, mano, o papai vai cuidar de mantê-lo na cadeia por um bom tempo.

A ambulância deu um solavanco e o movimento fez uma dor percorrer o meu corpo.

- Calma, Paixão. –disse minha menina na tentativa de me confortar. Mel depositou um beijinho em meus lábios, em seguida se afastou, mas manteve as mãos atreladas às minhas. O sorriso não abandonava o rosto de Vicente e não deixei passar despercebido o quanto ele estava se divertindo com aquela cena.
Assim que chegamos ao hospital, fui atendido pelos médicos da emergência, Mel precisou ficar do lado de fora aguardando pelos procedimentos clínicos e agradeci mentalmente por Vicente estar com ela. O efeito da anestesia foi me fazendo ficar grogue a ponto de perder os sentidos. Acordei em um apartamento no Hospital Valdivias, olhei para todos ao redor, minha mãe, Pedro e Thaís estavam no quarto, mas não havia sinal de Mel.
- Cadê a Mel? – perguntei para o meu amigo.
- Ela precisou sair tem umas duas horas, mas já deve estar voltando. – explicou.
- Francamente, espero que essa mulherzinha fique bem longe. Tudo isso é culpa dela.
- Você não sabe o que está falando, Mãe. Nada do que houve é culpa dela.
- Claro que é. Está em todos os jornais, Vinícius. A culpa foi daquela discursão estupida entre você e o marido dela. Os paparazzis viram tudo e venderam as imagens como verdadeiros abutres em cima da carniça.
O pensamento de que Mel poderia estar se culpando pelo que houve me atordoou, pra completar ainda tinha toda essa situação com a impressa. A própria Mel já havia sofrido na mão dos sanguessugas da mídia e o fato da imagem dela estar novamente na mão deles me desagradava demais.
- Esses infelizes...
- A coisa realmente tá séria, amigo. Os jornais acusam o Sérgio de ter sido o mandante do crime, mas até agora nada foi comprovado. O atirador se recusa a dizer quem o pagou.
- Mas o seu pai não irá desistir. – mamãe se manifestou, interrompendo o Pedro.
- Dona Gabriela, talvez fosse melhor deixarmos o Vinícius descansar...
- Obrigado, Thaís; mas já descansei o suficiente. – comecei a me levantar da cama. – Preciso procurar a Mal.
- Relaxa, maninho. – Vicente entrou no quarto seguido pela minha menina. – Sua garota está aqui.
Nos braços de Mel estava Bianca. A réplica em miniatura de Mel envolvia o pescoço da mãe com um dos braços, encostando seu rostinho no ombro da mesma e levando seu dedão à boca, como se precisasse desse gesto para superar sua carência devido à falta que Mel tinha em sua vida. Meu peito se aqueceu com aquela visão e eu sorri. Era um crime querer manter mãe e filha longe uma da outra.
- Oi, Pimenta!
- Oi! – seus olhos se iluminaram e o sorriso deixou seu rosto ainda mais belo. – Bianca, este é o tio Vini. Diga oi!


Tirando o dedo da boca, a menina falou: - Oi, tio Vini! A mami disse que cê tá dodói.
- É verdade, Bi, estou dodói; mas logo logo melhora.
- Tá doendo?
Resultado de imagem para amor final feliz- Só um pouquinho.
- O beijinho da mami faz parar de doer.
Tive que sorrir com o comentário e percebi que, a exceção de minha mãe e de Thaís, todos no quarto estavam rindo também.
- Não duvido. Será que a sua mami me daria um dos beijinhos contra a dor se você pedir?
A menina balançou a cabeça dizendo que sim, em seguida pediu:
- Mami, dá beijinho no dodói do tio Vini pa passá a dô.
O sorriso que Mel me deu foi do tipo “Sei bem o que você está fazendo, seu espertinho!” , mas ela não recuou.
- Onde está doendo, tio Vini? – Mel perguntou.
Resisti à tentação de lhe dizer que a dor era em meus lábios, mas a forma como Mel ergueu a sobrancelha me fez repensar melhor minha escolha, afinal eu tinha amor à vida; por isso apontei para minha bochecha e recebi um sorriso em retribuição. Em seguida, os lábios de Mel aqueceram confortavelmente o meu rosto.
Uma tosse, seguida da voz de Thaís nos tiraram da nossa recém construída bolha familiar.
- Bem, está na hora de ir. – a garota colocou sua bolsa em seu ombro e caminhou até a porta. – Acredito que com o beijo e a companhia de Mel você ficará bem melhor. Bom dia!
As palavras de Thaís, deixaram a todos desconfortáveis. Minha mãe me olhou e balançou a cabeça em desaprovação, eu sabia que assim que tivéssemos a sós ela iria despejar suas frustrações sobre mim, mas por hora estava agradecido por ela se retirar. Depois que mamãe saiu atrás de Thaís, Pedro foi a procura da médica que estava me atendendo para saber se eu podia ir embora (reconheço que ele parecia bem interessado em ser o responsável por consulta-la a respeito de minha alta médica).
- Acho que ele gostou da doutora. – Mel comentou.
- Não posso culpa-lo. - Vicente emendou.
Ora, ora...
- Bi, que tal vir comigo tomar um sorvete na lanchonete?
- Com caramelo? – ela perguntou ao meu irmão.
-  Isso mesmo, com caramelo.
A menina concordou e Mel a deixou ir nos braços de Vicente, mas não antes de dizer que a amava e de pedir para que ela se comportasse.
- Como se sente?
- Bem melhor, o seu beijo é realmente eficiente; mas acho que precisarei de umas doses mais fortes para me curar completamente.
A gargalhada de Mel encheu o quarto e eu me perdi em seus lábios. Depois de beijá-la precisei retomar o assunto que me incomodava.
- E você, como você se sente com tudo isso, como toda essa pressão da mídia?
- Não vou mentir e dizer que é agradável, porque não é. Mas pelo menos os holofotes estão voltados para a pessoa certa dessa vez. O Sérgio está nesse exato momento na delegacia, tendo que prestar depoimento sobre o caso e, se Deus quiser, é lá onde ele ficará.
- Não sabe o quanto fico aliviado por não ter acontecido nada com você.
A verdade é que desde que acordei não parei de pensar em como era agradecido pela bala ser direcionada a mim e não a Mel.
- O alvo do Sérgio é você, ele ainda está obcecado por mim.
- Mas é bom ele deixar de lado a obsessão, porque não estou disposto a te deixar escapar de mim. Eu te disse isso ontem, Paixão. Irei cuidar de você e da Bianca!
O sorriso no rosto dela era o bálsamo de que tanto precisava.
Pedro entrou no quarto acompanhado por Antonella. A médica era um verdadeiro deleite aos olhos. Uma negra alta, formas esguias e olhos intensos. Os dois ficavam muito bem juntos.
- Bom dia, Vinicius. Como se sente?
- Estou bem. – o olhar de repreensão de Mel me fez falar a verdade. – Na verdade a região da costela dói um pouco, mas nada insuportável.
- Bom, isso era esperado; afinal você foi baleado. Mas como a bala não se alojou, o machucado não foi muito profundo, porém precisou levar sete pontos. Se você se comprometer a tomar todos os medicamentos e não fazer esforço, para evitar abrir os pontos; não vejo motivos para mantê-lo aqui.
- Essa é uma ótima notícia. – falei.
- Pode deixar que irei cuidar para que ele não faça nada que o prejudique.
- Essa é uma boa notícia. – a médica respondeu com um sorriso à Mel.
- Na verdade, é uma promessa difícil de cumprir, doutora. Você sabe como casais em início de namoro podem ser intensos, certo?
Apesar da cor da pele da mulher, pude vê-la corar perante o comentário inapropriado de Pedro.
- Ai! –Pedro reclamou ao sentir o tapa que Mel lhe deu no peito.
- Bom, se me dão licença... Está aqui. Siga essa receita e não terá problemas. – disse ao entregar o papel à minha ruivinha.
- Obrigada.
Após ela sair, eu precisei dizer: - Você é um idiota!
- Sério, não é assim que você irá conquistar uma mulher como ela. –Mel reforçou.
- Quer apostar, ruivinha?
- Resposta errada, bonitão.


A cara de Pedro foi impagável e tive que rir dele. Em pouco tempo os dois me acompanharam sorrindo e quando Vicente voltou ao quarto com Bianca e nos viu gargalhando quis saber o que aconteceu. Após Mel e Bianca saírem para que os rapazes pudessem me ajudar a trocar de roupa, contei a Vicente o que houve e como esperado ele não se rendeu.
- Aceito a aposta. Acho que você não pega a médica!
- Não seja idiota, Vicente! Talvez demore um pouco mais do que o normal, mas Antonella será minha. – Pedro se vangloriou.
- Um pouco mais quanto? – meu irmão quis saber.
Pedro pensou, em seguida respondeu: - Quatro meses.
- Te dou dois.
- Sério isso? – perguntei.
- Se o Vinícius conseguiu a Mel em sete dias, eu consigo a Antonella em dois meses, no máximo.
- Então temos um acordo?
- Depende, qual será a aposta?
- Se você não conseguir, eu me torno o gerente do pub junto com você; mas se você conseguir, eu te dou o Mustang.
- Fechado! – Pedro concordou. É lógico que concordaria, ele sempre amou aquele carro.
- Vocês estão de sacanagem! – falei ainda sem acreditar que aquilo era real.
Selado o acordo, saímos do quarto e encontrei Mel e Bianca. Mãe e filha estavam rindo e brincando com um urso de plástico, desses que acompanham os lanches infantis nas promoções, que a garota tinha na mão.
- Oia o que o tio Vichente me deu! – disse me mostrando o bichinho.
- Que legal, miúda.
Abracei Mel com um dos meus braços e tirei um cacho que caia do rosto de Bianca com minha mão livre.
- Uma bela foto. – disse Pedro já guardando o celular de volta no bolso.
- Para onde vocês vão? – perguntou Vicente.
- Pensei que você podia ficar no meu apartamento... claro, se tiver tudo bem pra você.
- Assim está ótimo, Mel.
Depois que os meninos se foram; Mel, Bianca e eu aproveitamos o resto do dia para assistir filmes infantis, brincar de mímica e fazer o jantar (tá certo que Mel não me deixou fazer quase nada, mas só de estar perto dela e da filha já valeu). Após comermos, Mel colocou Bianca na cama e contou histórias para a filha dormir, eu fiquei observando o quanto aquela cena era natural, o quanto era certa, e agradeci a Deus pela oportunidade de poder testemunha-la. Uma batida na porta, me despertou daquela realidade.
- Pode deixar que eu abro. – falei já me afastando e indo em direção à porta.
- Oi, pai! – cumprimentei ao vê-lo perante mim.
- Oi, filho! – disse ao me abraçar. – Fico feliz que estejas bem.
- Não foi nada sério.
- Mas podia ter sido. Eu te avisei que essa gente é perigosa.
- Sim avisou.
- Cadê a Mel?
- Está no quarto fazendo a Bianca dormir. Como foi na delegacia?
- Complicado. Aquele infeliz não revelou quem o mandou atirar em você, mas ficou claro que não foi assalto. E dessa vez a impressa serviu para enrolar o Sérgio, porém ele usou o segurança, o tal de Vítor, como álibi e conseguiu se safar. Bom, por enquanto. Ainda tenho esperança de conseguir mais alguma coisa, e colocar aquele desgraçado atrás das grades.
- Então ele ainda está solto? – a voz de Mel nos surpreendeu.
- Está sim, Mel; quer dizer, consegui que ele passasse a noite na delegacia. Não me olhem assim, o delegado me devia uma. Mas amanhã de manhã ele estará liberado.
- Pensei que a Bianca fosse poder ficar comigo. – o semblante de Mel era de partir o coração e eu me aproximei dela para conforta-lá em meus braços.
- Na verdade, como ele está envolvido em toda essa confusão, mexi meus pauzinhos e convenci o juiz que o mais sensato seria lhe dar a guarda temporária da menina, já que o Sérgio é apontado como provável mandante de uma tentativa de assassinato.
- Mas você disse que ele tem um álibi, isso não o exime?
- Para ser sincero, - comecei – como o Vítor é um funcionário dele o álibi pode ser contestado. Ainda mais se não houver nenhuma imagem das câmeras de segurança ou outra testemunha para reforçar a história. – lancei um olhar para o meu pai esperando por sua confirmação.
- Não há nada. Só a palavra de um funcionário muito nervoso – o próprio Vítor.
Respirei aliviado. Tínhamos uma chance.
- Então a Bianca ficará comigo? – dava para sentir o quanto Mel tentava se controlar para não explodir de alegria.
- Pelo menos por enquanto.
O sorriso dessa vez não se escondeu e Mel pulou no pescoço de meu pai.
- Obrigada, Walter. Isso é mais do que eu já tive nos últimos anos!
A forma como ele a abraçava era afetuosa, havia um profundo carinho ali e me senti feliz por presenciar aquela cena. Após beber um pouco de vinho com Mel para celebrar sua pequena vitória, meu pai saiu. A sós, Mel aninhou-se em mim, tentando ser o mais suave possível para não me fazer sentir mais dor do que o esperado.
- Nossa, Vini! Quanta coisa aconteceu em minha vida desde que te conheci... Foram sete dias, em apenas sete dias tudo mudou... e foi graças a você!
- Sim, Pimenta! Em sete dias tudo mudou pra nós dois...- olhei em sua olhos para que nada escapasse, nem um traço de emoção poderia se perder - levamos sete dias para nos apaixonar.
- Para ser honesta, pra mim, foi menos do que isso!
Eu sorri.
- Pra mim também, Paixão!
Eu tinha em meus braços a mulher com a qual sempre sonhei, e naquele apartamento estava a família que eu não sabia desejar, mas que agora queria para mim. Não importa as lutas que teríamos que enfrentar, o que importa é que sete dias foram suficientes para saber que eu desejo muito mais tempo ao lado de Mel e de sua filha.

Resultado de imagem para the end tumblr
                                                                                    

19 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Eu acho que comecei esse livro pelo fim kkkk amei o pouco que li da historia e não vejo a hora de ler ela completa. Assim que publicar no wattpad deixa o link aqui, quero segui e adicionar a historia na minha biblioteca assim vou poder ler mais a vontade. Beijos e Parabens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fabi! Obrigada, minha linda! Pode deixar que assim que publicar no Watt, deixarei o link para vocês acompanharem.
      Beijinhos!

      Excluir
  2. Olá!! :)

    Eu já li! :) Não faz o meu género devo confessar, mas fazer o que? :) Nada a fazer mesmo... Mas gostei da leitura! :)

    Flui bem, a escrita agradou, e concordo que os personagens cativam! :) Continua e traz mais ainda!! ahah

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada por ter dado uma chance para o meu texto! É sempre bom quando encontro alguém que não curte muito o gênero, mas que mesmo assim é cativado pela estória, pela escrita e pelas personagens. A verdade é que vocês se tornam o grande desafio para os autores kkkk, então se eu consegui te agradar e te fazer querer ler um pouquinho mais... já ganhei o dia!!! Obrigada por deixar seu comentário.
      Beijinhos!😘💋

      Excluir
  3. Olá, Suellen! Confesso que, quando li o início deste capítulo, soltei um grande "UFA!". Foi uma semana triste e eu queria leituras felizes para poder tocar a vida. O desfecho trouxe a esperança possível em uma situação difícil de que haverá ainda muito a ser feito, mas com certeza o amor de Vinícius e Mel será mais forte. Muito obrigada por ter disponibilizado a história. Fiquei feliz em ler e espero reencontrá-la pelos caminhos literários das nossas vidas! Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Tudo bem Suelen
    Eu não li todos os dias por isso acabo ficando meio por fora lendo o texto pela metade, mas como comentei anteriormente, gostei do que vi em relação a sua escrita, quando estiver com mais tempo passo pra ler tudo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Que final hein querido! Fiquei chocada mesmo e pretendo reler a história, quem sabe assim eu me apaixone mais pela história, fiquei feliz de ver toda a história em seu blog.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Adorei essa história, gostei muito de poder acompanhar tudo aqui pelo seu blog! Fiquei muito chocada com esse final, não esperava isso hahaha
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Adorei acompanhar esa história no blog e, confesso, era uma história que tinha certo receio de saber como terminaria e você dez isso com maestria, parabéns!
    Adorei saber que, independente, do tanto que esses dois sofreram, o mocinho percebeu que é isso que ele quer e isso fez coracao encher de esperança.
    Quero mais!
    Beijos
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Super parabéns pela estória e pelo desfecho. Saber que estará no wattpad, que se tornará um livro físico e, ainda por cima, que vem por aí uma segunda parte é bom d+. Seu jeito de escrever consegue segurar o leitor e o prende na última linha sempre esperando o que virá a seguir. Sucesso sempre.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  9. Eu gostei bastante do modo como você contou a história. Tanto que mesmo não curtindo muito essa coisa de instalove, e sete dias com tantos acontecimentos é super corrido, eu gostei de como as coisas foram se encaminhando e o melhor é saber que não é o final já que terá mais uma parte. Até mesmo porque muitas perguntas ficam no ar, fazendo com que a gente deseje mais e mais.
    Não sou de ler no Whatpad, mas fiquei contente em saber que vai sair no formato físico também :)
    Parabéns!!!!
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  10. Como não acompanhei desde o início vou dar uma procurada e ler com calma. Mas pelo pouco que percebi, é uma leitura que me interessa bastante. Eu amei a capa e fiquei feliz de saber que vai ter físico, parabéns! Talvez espere para adquirir e conhecer melhor a história!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Cheguei no final da história, mas eu li e gostei MUITO da sua escrita então já vou caçar aqui o começo da história.
    Você escreve de um jeito muito gostos, sério <3

    Beijos,
    Tabatha Cuzziol
    Blog e Canal Floretizas - http://floretizas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oii, confesso que não li a história final dessa história, por que quero ler do começo. Mas pelo o que percebi parece ser uma história bem romântica e eu adoro histórias assim.

    beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Cheguei no final rsrs.. fiquei curiosa com a história e já vi que irei gostar, pois adoro um romance. Que legal que terá um livro físico hein.. parabéns e muito sucesso. Irei procurar a história no wattpad..

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá! Tudo bem?
    Não conhecia e amei conhecer! Vou add no wattpad! Que lindo e envolvente! Parabéns e sucesso! Adorei o post, wattpad tem autores muito bons!

    ResponderExcluir
  15. Oi querida,
    não entendi muita coisa, acho que perdi alguma coisa. Entende?!

    Mas adorei a história, e assim que você publicar no Wattpad por favor me avise. Quero levar essa história para mais leitores. Adorei os personagens, não entendi muito no inicio, mas depois tive uma noção do ocorrido e onde cada um se encaixava.

    P.S foi tudo muito bem descrito e construído.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. corrigindo: "Assim que você publicar o livro físico, me avise."

      Excluir
  16. Comecei esse livro pelo fim, mas fiquei bastante ansiosa para saber como o romance da Mel e do Vini começou e conhecer o pai da Bi. Te desejo muito sucesso com o livro físico e espero acompanhar desde o começo! PARABÉNSSSSSSS! <3

    ResponderExcluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.