sábado, 19 de novembro de 2016

Resenha: Nildrien - O Pergaminho, de Manoel Batista #EuLeioNacional


585 páginas. 59 capítulos e um epilogo. Vários personagens envolvidos em um único enredo. Manoel Batista fez de Nildrien – O Pergaminho, um livro que tinha todos os ingredientes necessários para ser uma história cansativa e cheia de detalhes desnecessários, mas que o autor soube transformar em algo surpreendente e cheio de momentos únicos.  

Meio - Demônios, Meio - Dragões, Monstros, Seres com poderes de luz e de trevas completam a receita necessária para termos uma fantasia diferente de muitas outras que lemos hoje em dia. Um pergaminho mágico escondido em uma caverna cheia de segredos e perigos, atrai diversas expedições do bem e do mal para possui-lo. Mas não será nada fácil ultrapassar aquele lugar cheio de surpresas. Entre os personagens centrais temos o grupo de Nalim (Reino da Luz) e de Asenhar (Reino das Trevas) que travam batalhas épicas no decorrer do livro, e é exatamente esse o ponto alto do enredo de Manoel. As batalhas e os momentos de ação marcam capítulos importantes em Nildrien, e em nenhum momento o leitor encontra algo cansativo de se ler, pois em cada página temos algo a descobrir de algum personagem.  

Os primeiros capítulos são dedicados a nos apresentar os personagens principais que serão essenciais para o desenvolvimento de tudo. Não poderia falar de cada um aqui, pois são muitos, mas alguns merecem destaque. Reks, um meio dragão, discípulo de um grande herói do Reino de Nalim, é um personagem com índole forte, que busca sempre alcançar o que deseja. Não me identifiquei muito com ele, por o achar muitas vezes arrogante. Outro personagem que merece destaque, é Histran, que cresceu muito no decorrer das páginas, partindo de um jovem cheio de dúvidas mas com vontade de vencer, até chegar a ser um homem com decisões fortes e essenciais para o desfecho da aventura.  

Ainda temos muito personagens e cada um deixa sua marca no livro, não ficando em nenhum momento como mero coadjuvante.  

O livro de Manoel Batista, publicado pela Novo Século, é uma aventura medieval com toques de magia e alguns momentos de romance, romance esse que começa a se desenrolar entre dois grandes inimigos. Manoel conseguiu mostrar que um autor brasileiro pode sim, criar uma grande e poderosa fantasia, ao contrário do que dizem alguns críticos e blogueiros, que subestimam nossos autores e super valorizam os estrangeiros.  

Sei do poder que nossos autores tem em mãos, e 97% das leituras nacionais que faço não me decepcionam, pois eles conseguem fugir do clichê e trazer historias diferentes e inovadoras, como em Nildrien. E Manoel não deixa nada a desejar, com seus personagens únicos, com seu enredo cheio de ação, suspense, magia e muitas vezes humor.  


Nildrien – O Pergaminho, é uma história fantástica, em um reino desconhecido e com muitos segredos. Segredos esses que são revelados a medida que o lemos. Mas o autor deixa claro que tudo não termina nesse livro, e ele deixa em aberto a decisão de continuarmos nos aventura por esse mundo. Será que a história do pergaminho terá sua continuação? Ou encontraremos os mesmo heróis e vilões em uma aventura completamente diferente? 

15 comentários:

  1. Nossa nunca tinha ouvido falar desse livro, todavia nada que não possa ser corrigido, porque já quero. Resenha maravilhosa... Sem falar que me comprou imediatamente só foi eu ler a parte que tinha dragões e já surtei. haha Amei!!

    Parabéns!!!

    Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir
  2. Reino desconhecido e com muitos segredos? Simplesmente adoreiiii! Só tenho uma dúvida a continuação já tem previsão? Pois ficar esperando é uma tortura! Hahaha Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  3. Que resenha fantástica!!! Muito obrigado Mairton por todo o carinho e pelas palavras, me enche de alegria ver que alguém curtiu tanto a minha obra, espero que você possa seguir acompanhando, abração!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Apesar de ser parceira da Novo Século, não cheguei a conhecer essa obra. Gosto bastante de livros de fantasia, os seres misticos são sempre interessantes e bem descritos nessas histórias, além de serem um show a parte. Não gosto muito de livros grandes, porque os acho arrastados, mas depende muito mesmo do livro e de quem os escreve.
    Gostei de conhecer a obra, boa dica.
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro, mas achei mega interessante essa premissa e esse mundo criado nele, pela sua resenha pude perceber que é algo que nos surpreende a cada minuto né. Apesar de não ser meu gênero preferido, com certeza leria se tivesse a oportunidade para conhecer mais desse mundo. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  6. Mairton, eu não conhecia o livro, mas embarco fácil nessa aventura de pergaminhos e dragões. Realmente em enredos com muitos personagens o autor precisa ter uma boa maestria para não se perder no meio de tantos nomes e não deixar o leitor a ver navios. É um livro bem grosso, tomara que a aventura continue e tb proporcione novas estórias.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro esse livro, li faz um tempinho e todo o universo criado pelo autor me agradou bastante e fiquei super curiosa para ler a continuação, estou torcendo para que não demore muito e desejo sucesso ao autor, sempre.

    ResponderExcluir
  8. Nossa, adoro livros cheios de mistérios. Creio que esse livro seja daqueles que você precisa terminar mais um capítulo, mas nunca termina. Eu não conhecia nem o livro e nem o autor, mas adorei a resenha. Esse livro acaba de entrar na minha lista de livros que precisam ser lidos.
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Olá, ainda não conhecia nem o autor nem o livro. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Não conhecia a obra, mas tenho que confessar que aventura medieval não é lá um dos meus gêneros favoritos. O enredo é bem instigante, como sempre temos costume de vê nesse gênero. Talvez o que torne a narrativa cansativa é ele explicar um pouco sobre alguns personagens, mas creio que é realmente necessário para entender melhor a história.Fico feliz que de uma maneira geral o livro lhe agradou. Mas vou deixar a dica passar.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Aiii eu amo esse livro, um dos meus preferidos do ano! Eu também achei o Reks um arrogante, mas ele é fechadão, acho que por isso tem esse jeito, mas amei o desenvolver dele durante a história, principalmente mais para o final, assim como de todos os outros personagens do grupo de Nalim (eu fiz questão de colocar o nome de todos na minha resenha, porque eu amei os personagens). Nildrien é uma história forte, super envolvente apesar do tamanho, são mais de 500 páginas que da pra ler sem nem perceber que está acabando. Eu amei e adorei saber que você também gostou!
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  12. Acho que um meio dragão não tem como não ser arrogante... Rs... Sei lá, amo dragões, mas é normal eles terem essa característica, deve estar no sangue.... Hehe... Amo livros com bastante ação e com batalhas, e fantasia é meu gênero preferido, ou seja, claro que fiquei com vontade de ler! Adoro aventuras medievais!

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia o livro, mas sendo fantasia e ainda medieval já me chamou atenção. Temos excelentes autores, não entendo como ainda tem gente que não lê nacionais.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Adorei a proposta do livro, fantasia nacional tem sido um exemplo no Brasil. Temos tido livros muito bons e as cenas debatlhas épicas são de encher os olhos. Se eu tiver oportunidade lerei com certeza.
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Mairton, tudo bem?
    Eu li uma resenha desse livro elogiando muito muito a história do autor. Como fã de fantasia e de dragões, não resisti e já adquiri o meu. Ainda não tive a oportunidade de ler, mas lendo sua resenha fiquei mais empolgada e tive a certeza de que irei gostar. Ótima resenha.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.