sábado, 15 de outubro de 2016

Entrelinhas: Sete Dias Para Se Apaixonar - Capitulo 2

Olá, leitores!

Tudo bem com vocês? Como devem ter observado, acompanhei todos os comentários e agradeço por terem expressado as opiniões de vocês. Como disse antes, sei que é uma forma meio louca de tudo acontecer e, infelizmente, neste livro vocês só conhecerão a visão do Vini sobre os sete dias que irão mudar significativamente a vida dele. A sequência de Um Romance Inesperado, no entanto traz a versão da Mel e a continuação da história a partir da perspectiva desta jovem “tão louquinha”. Ousadia e irreverência a definem, e ela tem o seu próprio inferno pessoal a vencer; mas isso vocês irão descobrir devagarinho. Enquanto isso, desfrutem do segundo capítulo. O que será que está reservado para a terça-feira?
 Resultado de imagem para romance quente tumblr
Capítulo 2

Terça-feira

Droga! Isso é real? Eu realmente estou prestes a bater à porta do apartamento de uma garota da qual só sei o nome? Sim! Eu de fato estou fazendo isso!

Respirei fundo pela terceira vez, sem acreditar na loucura que era toda essa situação, e toquei a campainha.

Nada!

Toquei mais uma vez, e novamente a resposta foi a mesma – um perturbador e profundo silêncio. É lógico que a Mel, se é que esse era seu verdadeiro nome, não iria dar seu endereço a um completo estranho. Nenhuma garota minimamente sã faria isso. Percebendo que aquilo só poderia ter sido uma pegadinha para me colocar em meu lugar, comecei a dar meia-volta e já estava quase ao pé das escadas quando a vi. Deus, aquilo era real! Ela realmente me deu o endereço certo.

Fiquei algum tempo apenas a admirando enquanto ela subia às escadas. Mel parecia ainda mais encantadora do que da primeira vez em que nos encontramos. Ela usava tênis roxos, uma calça jeans toda detonada, camiseta amarela dos Minions, jaqueta preta de couro e os cabelos ruivos presos em duas tranças laterais. Maluca? Não! Linda! E mais uma vez me peguei sorrindo feito um bobo pelo efeito que aquele rosto meigo tinha sobre mim.

- Desculpa o atraso. – falou assim que subiu, pegando-me de surpresa ao segurar meu rosto e beijar minha bochecha como se fôssemos velhos conhecidos.

– O ensaio demorou mais do que o normal. Você quer entrar? – perguntou caminhando até o apartamento. – Eu realmente preciso tomar um banho antes de sairmos.

Devia haver algo errado com ela, como poderia convidar um desconhecido para dentro de sua casa daquele jeito? A verdade é que mesmo tudo sendo tão inusitado entre nós, havia algo de familiar em Mel. Eu não sabia quando nem onde a havia visto, mas desde ontem tenho a estranha sensação de reconhecimento ao observá-la.

Ao abrir a porta, acompanhei-a para dentro da sala de sua casa. Era um lugar incrivelmente divertido, as paredes amarelas estavam repletas de quadros com imagens de Mel em peças teatrais.

- Na minha profissão, não existe feriado! Mas fique a vontade, eu já volto.
Caminhei observando cada detalhe da sala em busca de compreender um pouco mais a beldade que me deixou ansioso por reencontrá-la.

- Eu devia ter imaginado que você era atriz. – comentei para mim mesmo, enquanto escutava o som da água derramando pelo chuveiro do banheiro.

Prendi-me um pouco mais à imagem daquela ruivinha sob a água, imaginando-a vividamente. Apesar do jeito infantil, a atitude ousada de Mel reforçava a impressão que tinha de que ela era uma verdadeira tentação.

Estava entretido com a fotografia de Mel abraçada a uma garotinha ruiva tão linda quanto ela, a qual não deveria ter mais do que dois ou três anos, quando a ouvi entrar na sala chamando minha atenção para si. Novamente fui arrebatado pela estranha sensação de familiaridade.

De onde a conhecia?

- Agora sim, podemos ir. – disse vestindo uma calça jeans com camisa de manga longa listrada em vermelho, azul, amarelo, verde e laranja. Esta era a primeira vez que via seus cabelos completamente soltos; e eram divinos, com cachos que se estendiam até a cintura. Mel definitivamente fugia de todos os padrões, sua beleza era espontânea, divertida e original. Nada de alisamento químico nos cabelos, ou quilos de maquiagem. Sentia-me atraído por ela ser assim, simplesmente a Mel.

- Aonde você quer ir? – perguntei focando-me no prazer de tê-la por perto.
- Ora, Vini. Pensei que você fosse escolher; afinal, a ideia foi sua. – a intimidade com que me chamou aqueceu-me, fazendo surgir um sorriso em meu rosto.

- Fato.

- Então surpreenda-me. – ela pediu, e enlaçou sua mão na minha, puxando-me para fora de seu apartamento.

Isso sim seria um desafio. Como surpreender alguém como ela?

****
Mil ideias clichês de para onde poderia levá-la passaram por minha cabeça enquanto caminhávamos até o carro; mas foi durante nossa conversa, já em meu veículo, que mudei o caminho que estava fazendo, optando por um lugar mais comum e divertido, pois sabia que lhe agradaria.

- Boa noite, Ricardo! – cumprimentei o segurança do pub irlandês gerenciado pelo Pedro.

Guiei Mel à mesa que normalmente ocupo quando venho aqui com meus amigos.

- Que lugar legal! – comentou assim que nos sentamos. – Nunca estive aqui.

Pude ver pelo seu rosto que ela realmente havia gostado. Mel tinha me confidencializado o quanto adorava cerveja artesanal e eu mal podia esperar para ver sua reação ao provar uma das que eu havia feito com Pedro, afinal esse é um de meus passatempos preferidos.

- Que bom que você gostou. Meu melhor amigo é gerente daqui e nós dois costumamos nos divertir com o preparo de algumas das cervejas que são fabricadas e servidas neste pub.

- Você está falando sério?

- Claro. – disse com um sorriso extremamente satisfeito por ver sua cara de surpresa.

– Só um minuto, já volto. – disse depositando um beijo em sua mão antes de me afastar.

Fui ao bar, pedi nossas cervejas e observei Mel de longe enquanto aguardava as bebidas. Ela estava distraída olhando tudo ao redor. Suas mãos estavam sobre a mesa, em uma pose relaxada; Mel apoiou o cotovelo na mesa e o queixo sobre a mão direita, enquanto seu olhar continuava a passear pelo ambiente até se encontrar com o meu. A princípio mantivemos o sorriso em nossos rostos, porém, logo fomos tomados por um cúmplice desejo que se tornou tão intenso em seus olhos quanto nos meus. A mensagem estava clara: eu a queria e ela tinha o mesmo sentimento.

Fomos interrompidos pela voz de Ivo ao me entregar as bebidas. Agradeci e caminhei até onde Mel estava sentada. Mantive meu olhar fixo no dela durante todo o trajeto.

- Espero que gostes! – falei ao lhe entregar uma garrafa.

Observei fascinado o modo como ela acomodava seus lábios em volta do gargalo e senti um arrepio percorrer o meu corpo devido à forma como sua garganta pulsava ao sorver o líquido gelado. Uma pequena gota escapou de seus lábios e eu não resisti. Aproximei-me dela e ao apoiar minha mão em seu pescoço, olhei-a com intensidade puxando-a para mim. Mel não resistiu, pelo contrário, rendeu-se ao desejo aproximando seus lábios ainda mais. Com a língua saboreei o rastro deixado pela cerveja em seu queixo até chegar aos lábios, onde me rendi ao sabor daquela mulher. O beijo durou algum tempo e foi com dificuldade que nos afastamos.

- Inebriante. – falou com um sorriso extremamente sedutor em seus lábios – Definitivamente, esta cerveja entrará para a lista das minhas favoritas.

Sorrindo dei-lhe outro beijo, controlando-me para manter a compostura;  então voltamos à conversa que havíamos iniciado no carro. Fiquei sabendo um pouco mais sobre o furacão Mel. Apesar de ter nascido na Alemanha, ela já vive no Brasil desde os cinco anos de idade, quando sua mãe, que é brasileira, voltou para perto da família ao ficar viúva. Além disso, pude perceber o quanto seu jeito leve de ver a vida combinava com tudo o que eu buscava em uma mulher. Alguns minutos depois fomos interrompidos.

- E aí, Vinicius, tudo bem? – Pedro aproximou-se estendendo sua mão para mim; depois, voltou sua atenção para a excêntrica beldade ao meu lado. – Você deve ser a Mel. Agora entendi por que o meu amigo não parou de falar a seu respeito.

- Foi mesmo? – A garota perguntou fixando seu olhar em mim, como se pouco importasse que o homem que havia acabado de lhe dirigir a palavra fosse um loiro, rato de academia, com quase dois metros de altura e um par de olhos azuis que normalmente o faziam se dar bem nas festas.
- Sim, senhora! À noite inteira! Mas confesso que preciso te agradecer... – disse sentando-se ao meu lado enquanto continuava com sua tagarelice – ...graças a você, o Hugo, o Renan e eu tivemos uma chance no boliche.

Resultado de imagem para romance quenteComo o rosto dela demonstrava interesse, Pedro continuou com minha humilhação: - O Vinícius costuma nos dar um banho, mas ontem você distraiu os pensamentos dele.

- Hummm... Bom saber! – Mel comentou enquanto levava sua cerveja à boca.

Precisei morder meu lábio para controlar a vontade de beijá-la novamente; afinal, aquele não era o momento, pelo menos não com o Pedro do nosso lado.

A banda de uns amigos havia sido convidada para tocar esta noite e eles estavam realmente dando show. Algum tempo depois Renan e Hugo chegaram com Camila, namorada de Hugo, e uma amiga dela - Ruth. Estávamos todos aproveitando à noite. Mel rapidamente se entrosou com o grupo e foi agradável ver o quanto ela se ajustava à minha galera. A alemãzinha era divertida, inteligente e ousada em suas respostas; além disso, quando começou a dançar... precisei me perguntar de onde havia saído tanto molejo.

Percebi que vários homens estavam olhando para Mel e decidi me aproximar para deixar claro que ela estava comigo. Coloquei minha mão em sua cintura e Mel virou-se de frente para mim, colocando ambas as mãos em minha nuca e aproximando-se de meu corpo com movimentos insinuantes. Sem conseguir resistir apertei seus quadris com as duas mãos, demonstrando com meus olhos e meus gestos o quanto a queria... Mel apenas sorriu e aproximou-se ainda mais de mim. Seus olhos estavam negros de desejo, as pupilas dilatadas escondiam quase que completamente a cor esverdeada deles, e aquilo me deixou ainda mais necessitado dela; foi por isso que ao sentir seus lábios tocarem os meus eu me entreguei. Como uma mulher poderia me fazer sentir algo tão intenso em apenas dois dias?

Ao me verem beijá-la, meus amigos sem noção começaram a gritar. Qualquer garota teria ficado sem graça, mas é lógico que não a Mel. Ao invés de se afastar, minha ruiva apimentada afundou ainda mais as suas mãos em meus cabelos... Não sei se era efeito do álcool, mas eu a suspendi do chão e ela decidiu dar uma mordidinha em minha boca, rasgando-a levemente, fazendo-me sentir um sabor metálico. Mel passou sua língua para estancar o pouco de sangue que ela havia retirado de mim, e novamente me deixou sem palavras...
- Perdão, Vini! Acontece que você é tão saboroso... não pude resistir.

Porr...! Essa garota vai me matar!

Apertei-a ainda com mais intensidade em meus braços, e estava prestes a dar a Mel a resposta que ela merecia por sua atitude ousada, quando uma voz rasgou o espaço atrás de nós.

- Vinícius?! – a voz de Thaís parecia surpresa e ao mesmo tempo indignada com a cena que estava testemunhando.

Mantive um de meus braços atrelado a cintura de Mel, puxando aquela garota espevitada ainda para mais perto de mim antes de cumprimentar minha ex.
- Oi, Thaís!

A loira digna de estampar qualquer capa de revista, olhou com ar de desprezo para Mel.

- O que é isso? Dia do orgulho gay? – disse em uma clara tentativa de ofender a ruivinha, com sua referência ao arco-íris de cores que estampavam a camisa da garota em meus braços.

- Para com isso! – falei entre dentes. Eu não iria deixá-la se comportar desse jeito.

- Relaxa, Vini! – aquela pimenta falou pouco antes de se apresentar à Thaís.

- Sou a Mel e você, quem é?

- Eu sou a Thaís.

- Isso eu já entendi. – falou com um sorriso desafiador... Sabe aquela atitude ousada que só ela tem e que me deixa louco? Pois é!

- Sou a namorada dele.

- Ex-namorada. – tratei de corrigir Thaís e Mel iluminou o seu rosto com um sorriso muito satisfeito por minha resposta.

- Parece que você perdeu o posto, querida. – após um gesto de cabeça do tipo “Opa! Foi mal!”, Mel deu as costas para Thaís e voltou a me beijar.

Perdi a noção de quanto tempo ficamos daquele jeito, apenas adorando os lábios um do outro.

- Sugiro um quarto! - Pedro deu uma batidinha em meu ombro, enquanto passava por nós e Mel lhe respondeu:

- Não é preciso, não sou do tipo que vai pra cama com um cara logo no primeiro encontro. – disse  ao lhe dar um piscadinha.

Depois que Pedro se afastou, ela sorriu e me encarou.

- Mas... – Mel mordeu os próprios lábios - Quem sabe no segundo?

Definitivamente eu estava perdido, e confesso não sentir nenhuma vontade de me encontrar!

****

Resultado de imagem para sete dias para se apaixonar

Esses dois, hein?! ...

Então, o que acharam desse encontro? Espero pelos seus comentários!

 Galera, quero aproveitar o espaço e fazer um convite a vocês. Além de escrever para a Entrelinhas, e dedicar horas de minha vida à docência, sou colunista e editora na Revista Digital Mklay, onde, aos domingos, publico minha primeira novela “Sensações...”, trata-se de uma trama ambientada em pleno século XIX e desde que estreiou ocupa o top 5 da revista. Convido a todos para acompanhar essa novelinha que vem dando o que falar, e que amanhã terá seu oitavo capítulo publicado.

Ahhh... E fiquem de olho, tem promoção de “Sete dias para se apaixonar” chegando! Aguardem!!!

Desejo a todos uma ótima semana!
Beijinhos, e até o próximo sábado!

Contatos com a autora:







42 comentários:

  1. Amei, gente está divo, fiquei super curiosa por ler na íntegra, adoro romances assim. Parabéns, espero ler tudo logo.
    E parabéns pela coluna que faça muito sucesso.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Karine! Espero que a história continue te cativando. A quarta-feira promete! Até o próximo sábado!
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá!
    A primeira parte que tinha lido tinha me deixado um pouco com o pé atrás pelo fato de a Mel ter passado seu endereço logo de cara, as coisas aconteceram rápido demais, sabe?
    Apesar disso, gostei muito do desenrolar e achei muito bacana a Mel não se sentir intimidada para ex do Vini. Estou me perguntando que ligação é essa que o Vini sentiu.
    Quero ler a continuação, estou curiosa.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna!
      Que bom que a história está começando a te envolver!
      Espero que acompanhes e que gostes dos próximos capítulos!
      Beijos! 😘💋

      Excluir
  3. Oi!
    Que história legal, adorei esse segundo capítulo e já quero ler a trama completa pra saber o que acontecerá com o Vini e a Mel, apesar de achar que as coisas estão ocorrendo um pouco rápido.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Larissa! Tudo bem?
      Que bom que você está gostando da história! Sim, as coisas entre esses dois estão sendo bem rapidinhas, mas é isso né? São sete dias para se apaixonar e nem sempre as coisas acontecem devagar, às vezes uma amizade e até mesmo uma paixão podem nos pegar desprevenidos. Confesso que nunca aconteceu nada parecido comigo, mas quando penso em alguns amigos percebo que tudo é possível!
      Um Beijão para você, flor!

      Excluir
  4. Uau, esse segundo capítulo foi demais! Realmente os dois não estão para brincadeira, né? rsrs
    Só não entendi essa aparição da ex do nada, mas imagino que ainda vá ser importante mais pra frente. Gostei bastante do capítulo, estou ansiosa pelo próximo!
    E já fico imaginando se realmente ele conhece a Mel de algum lugar... hmm.. rsrs
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dessa! Tudo bem?
      Sim, esses dois não dormem no ponto kkk... Lentos somos nós! Kkkk
      Mas olha, sobre a ex, ela é irmã do Pedro (o dono do pub) então é meio que normal ela aparecer por lá. Sobre se eles realmente se conhecem, será preciso esperar mais um pouquinho para saber... Desculpa!
      Agradeço por deixar seu comentário e espero que a história continue te envolvendo.
      Beijos!

      Excluir
  5. Confesso que eu estava contente de que ela não tinha passado o endereço certo para o cara. Isso e o fato de ela deixar ele entrar assim de cara me incomoda um pouco.
    Não o fato de ser rápido, mas o fato de ela ser tão descuidada a ponto de um desconhecido entrar em sua casa, sabe?
    Mesmo assim, sua escrita é muito cativante e isso me faz gostar de acompanhar a história e saber o que mais está por vir para esses dois :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lica! Como você está?
      Eu super entendo o seu ponto de vista, mas fico feliz por minha escrita lhe cativar ao ponto de você querer acompanhar esta história. Espero que ainda sejas surpreendida por ela.
      Beijos, meu anjo!

      Excluir
  6. Olá, gostei muito da Mel pelo que li nesse post, vou querer ler mais para ver como ela será no decorrer da história. Foram momentos de ótima leitura, obrigada :) .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Minha linda, fico muito feliz pelo seu comentário.
      Confesso que adoro o astral da Mel, ela é super pra cima e, em breve, você descobrirá que ela também é muuuuito intensa!
      Beijinhos!

      Excluir
  7. Oii, tudo bem?
    Estou adorando acompanhar esses capitulos, eu já tinha lido o primeiro antes em outra postagem e estou gostando do jeito em que escreve, está me cativando parabéns.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Morgana! Tudo bem, flor!
      Fico feliz por você está gostando do enredo é de minha escrita. Agradeço pelo carinho!
      Beijinhos!

      Excluir
  8. Olá!Que legal! Já vou procurar os outros capítulos! Fiquei boiando um pouco na história, mas o que li me interessei bastante, vou ler o restante, beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suzana! Que bom que você gostou! Este ainda é o segundo capítulo, no próximo sábado irei disponibilizar o segundo aqui no Entrelinhas. Mas se quiser conhecer outros trabalhos, visite a página da Mklay, lá vc pode acompanhar Sensações... minha primeira novela de época; também encontrarás outros textos que assino sob o pseudônimo Ellen Martins!
      Beijinhos, flor!

      Excluir
  9. Que história linda *-*
    Realmente muito interessante, um gênero que eu gosto muito. Fiquei com vontade de "quero mais" haha
    Muito bom!

    http://www.literaturanews.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Gi!
      Fico feliz!
      Então prepare-se que no próximo sábado tem muito mais! 🙈😏
      Beijinhos!

      Excluir
  10. Bem, Fiz a besteira de ler o capitulo 2 sem ler o um.... Lá vai eu ler o 1 porque amei o dois...
    pode isso, produção?! :D
    Parabéns!!!

    #Ana Souza

    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkk... Pior que não pode né, Aninha?!
      Mas que bom que o segundo capítulo te motivou a ler o primeiro, espero que você continue acompanhando a história desses dois!
      Beijinhos, flor!

      Excluir
  11. Olha menino, eu não curto esse tipo de história, mas você escreve tão bem que fiquei simplesmente apaixonada. Já fiquei curiosa pelos próximos capítulos... Mas aviso, sou meio chata, mas estou muito otimista pelo final.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, flor! Muito obrigada! É bom saber que minha escrita conseguiu lhe deixar apaixonada mesmo sem ser uma amante desse gênero literário. Espero que os próximos capítulos a cativem ainda mais.
      Beijinhos!

      Excluir
  12. Arasoooou Suellen!
    A Mel é doidinha mas, pelo que parece, sabe o que faz. KKKKK Ou não...
    "Quem sabe no segundo!" Eita Meeel! KKKKK
    Estou adorando acompanhar, já estou ansiosa pelo próximo capítulo! :)
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, flor!
      😍😍
      Adorei o "pelo que parece, sabe o que faz... Ou não..."! Kkkk
      Aos poucos a Mel vai se revelando... O que posso te adiantar é que adoro essa personagem.
      Obrigada por deixar seu comentário!
      Beijinhos!

      Excluir
  13. Oi
    Adorei viu?! Vou continuar lendo com certeza.
    #Ansiosa
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, flor!
      Que bom! Fico muito feliz por isso!
      Segure a ansiedade que sábado tem mais!
      Beijinhos!

      Excluir
  14. Suellen, não li o primeiro capítulo, mas já amei esse.
    E adorei os personagens, principalmente o jeito da Mel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Déborah!
      Que bom, flor! Fico muito feliz por você ter gostado!
      O primeiro capítulo foi publicado sábado passado, você o encontra no menu de Entrelinhas.
      Beijinhos e até a próxima semana!

      Excluir
  15. Oie Suellen, tudo bem? Adorei esse capítulo. Gostei da personalidade da Mel, sua ousadia. Parece ser misteriosa também. O primeiro capítulo não tinha me fisgado, mas esse sim. Curiosa pelo próximo!
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, Gaby! Tudo ótimo! E com você?
      Fico super feliz por ter te fisgado com esse capítulo. Espero que o outro te prenda ainda mais!
      Beijinhos, flor!

      Excluir
  16. Li tudo e só aos poucos fui percebe que se passa de uma continuação, perdão eu tinha lido o titulo e td mais sou um pouco lerda pra algumas coisas, mas enfim vou ler primeiro capitulo pra conseguir entender melhor o segundo que acabei de ler, mais a sua escrita é fabulosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, meu anjo! Tudo certinho?
      Agradeço por suas palavras, fico muito feliz sempre que alguém diz gostar do jeito que eu escrevo. Espero que a história consiga te cativar.
      Beijos!

      Excluir
  17. Olá! Dei uma passada na primeira parte para poder entender essa. Achei bem interessante e narrado com bastante intensidade. A única parte que me desagradou foram as coisas terem corrido muito rápido. Leitores gostam de serem enrolados , às vezes. Abraços!
    Umparadoxoliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anne! Tudo bem?
      Fiquei super feliz por você ter gostado da intensidade com que o texto é narrado. Vou confessar uma coisa, tenho problemas com enrolação nos livros, sabe? Isso faz com que os meus textos sejam um pouco mais dinâmicos, porém "Sete dias para se apaixonar" realmente bate recorde, pois, como expliquei em outra situação, é um texto baseado na música "7 Days" cuja história é bem dinâmica.
      Beijos!

      Excluir
  18. Oi!
    Olá... adorei a história!
    Nossa gostei muito da escrita também, bem leve e fluida. Não tinha lido o primeiro capítulo, mas quero muito ler o resto da história, fiquei curiosa com a história do Vini e da Mel.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, May! Como vc está?
      Querida, agradeço pelo seu comentário. Fiquei muito feliz em saber que minha escrita lhe agradou.
      Beijos!

      Excluir
  19. No primeiro capítulo fiquei chocada pela menina dar o endereço daquele jeito, e nesse fiquei mais chocada ainda por ela convidar o cara pra entrar... Rs... Mas estou curiosa pelo resto da história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ju! Tudo bem?
      Desculpe por te deixar tão chocada pelas atitudes das Mel! Mas fico feliz por ter despertado a sua curiosidade.
      Beijinhos, flor!

      Excluir
  20. Oi Suelen, sua linda, tudo bem?
    Não briga comigo, mas esse comportamento dela me assusta. Não consigo fechar os olhos para a realidade, não podemos fazer isso na vida real. Os riscos são imensos. E a forma como ela o trata como se fossem velhos amigos sem nunca o ter visto antes. Ela pode ser um espírito livre, moderna, viver sem amarras e até se arriscar sem que necessariamente o encontro deles tenha que ser dessa forma. Eu só mudaria isso. Sua narrativa é muito envolvente, impossível não querer ler mais e saber o que irá acontecer. Espero ter ajudado, essa foi a intenção.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cila! É lógico que não brigo, pelo contrário agradeço por voce ter dado a sua opinião.
      Obrigada pelas palavras de incentivo.
      Beijos!

      Excluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.