sábado, 25 de janeiro de 2014

Resultado do Sorteio de A Ideia, do autor Lucas Chagas

Olá meus amados, tenho estado um pouco ausente do blog por conta de certas mudanças em minha vida, incluindo minha mudança para a capital do meu estado (Ceará), mas hoje venho trazendo mais um resultado de sorteio, dessa vez do livro do meu amigo Lucas Chagas: A Ideia.
A Ideia não é uma história de um amor perfeito, no qual o universo conspira favor. É uma história de luta pelo amor, quando tudo parece estar contra. Fala da vida em sua brevidade, sem deixar de lado os instantes que fazem dela algo eterno.
A Felizarda que vai levar o livro autografado para casa é:

Tamires Cipriano
Mariana-MG

Tamires é autora do blog De Tudo Um Pouco, e fico muito contente que tenha sido ela a levar o livro para casa. O livro será enviado pelo próprio autor autografado. Parabéns Tamires e espero que curta essa estória de amor, onde o sentimento mais perfeito do mundo é tratado em sua totalidade. A ganhadora tem 5 dias úteis para o envio de seus dados para mairtoncosta@hotmail.com. Abraços meus amigos do Blog STC e até o próximo sorteio. 


terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Lançamentos da Editora Baraúna: Cicatrizes de Um Sonho, O Fogo nos Teus Olhos e Ser de Jesus

Vamos conferir os últimos lançamentos da Editora Baraúna, Parceira do nossos blog:
cicatrizes
Cicatrizes de um sonho é um livro que mostra a história de um rapaz que tinha um lindo futuro, sonhava em ser jogador de futebol, porém, um dia fez uma escolha, a mais triste delas, e trocou tudo pelo triste submundo das drogas.

A obra é uma biografia excitante que mostra mais de 15 anos de luta, dor, perdas. Mas também demonstra a superação e a força, trazendo a volta por cima de alguém que esteve no mais fundo de poço que um ser humano passou.

Cicatrizes de um sonho começou a ser escrito dentro de uma prisão de segurança máxima e foi finalizado quando o autor voltou a ficar em sua casa, junto de sua família e amigos e, principalmente, livre de todo sofrimento que as drogas lhe causaram.

Não deixe de ler esta obra! Ela vai mudar sua vida e sua história.
capasite_leticia
Sarah Braccini é uma menina que mora em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Ela e seu irmão Daniel viviam uma vida normal (embora com certas peculiaridades), até que um dia a menina toma uma decisão aparentemente simples, mas que acaba afetando a vida de todas as pessoas à sua volta, direta ou indiretamente.

Agora o que resta a ela, com a ajuda de Daniel, é lidar com essa escolha e suas consequências, que são mais graves do que eles poderiam imaginar. Tudo isso apenas pelo desejo de poderem trilhar seus próprios caminhos, seguirem seus corações. Uma tentativa de descobrir quem eles são de verdade, cada um à sua maneira.

E isso é só o começo….

capa_site_4

Ser de Jesus é um livro que busca, de forma simples, ensinar as pessoas a admirar as pequenas coisas ao nosso redor. Interagindo a beleza de Deus, inserida no meio no qual vivemos, com o propósito de nos fortalecer na pessoa do Senhor Jesus, tenta mostrar o quanto Deus é importante para nós e para nossas decisões.

Os poemas, pensamentos e gravuras entremeados ao longo do livro vêm recrear um pouco a leitura, no intuito de ilustrar e criar uma luz de fundo sobre os assuntos mencionados.


O maior objetivo do livro Ser de Jesus é fazer com que o leitor se apaixone pela pessoa de Jesus de uma forma que o mundo não consiga compreender. Algo simples e ao mesmo tempo inexplicável.

Se interessou por alguma das obras? Então basta acessar a loja virtual da Editora Baraúna: http://www.editorabarauna.com.br/

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Resultado do Sorteio do Livro Veneno, de Sarah Pinborough


Olá amigos, venho aqui neste post rapidinho para anunciar o vencedor ou vencedora do sorteio do exemplar do Livro Veneno, de Sarah Pinborough, publicado por nossa parceira Única Editora.

Leia Resenha do Livro Completa: Clique Aqui!

O sorteio deveria ter sido realizado dia 15, mas ando com o tempo curtíssimo, afinal neste sábado, dia 18 é o meu noivado e vocês entendem como fica nossa cabeça em um momento desse não é? O sorteio foi realizado no site SorteiosPT. 

Mas agora deixando de papo furado, a ganhadora do Exemplar de Veneno foi:
Dayenne Vieira
Nova Iguaçu – RJ


Parabéns a ganhadora, peço a mesma que entre em contato, enviando seu endereço completo para: mairtoncosta@hotmail.com. O livro será enviado pela própria editora. Mas não fique triste se vocês não ganhou o sorteio, dia 20, temos o sorteio do livro A Ideia, do autor Lucas Chagas, uma estória de amor emocionantes que vai te prender do inicio ao fim. Participe: 

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Ocelo Comenta: Cinco Livros Para Quem Quer Produzir Bons Textos


Essa é uma dica para quem trabalha com a escrita e pretende melhorar ou conhecer técnicas para produzir bons textos, principalmente para quem quer criar textos de qualidades.

Coluna Escrita Por Ocelo Moreira
E com base numa pesquisa sobre os 5 melhores livros que poderão lhe auxiliar no momento da criação textual, quero aqui indicar tais obras inefáveis, na qual uma delas eu já havia lido em meados de 2010, (Escrever Melhor: Guia para Passar os Textos a Limpo), ou seja, antes mesmo de saber dessa tal pesquisa, e a dita obra eu a comento logo abaixo e garanto; vale a pena sua leitura!

Ótimo livro, cuja leitura é bastante escarnecida e agradável. Bem simplificado e fácil de aprender. Imprescindível a todos àqueles que gostam de livros e principalmente para os que pensam em um dia escrever. Ele nos ensina a ter mais sutileza na hora da escrita, como cortar palavras desnecessárias ou usar uma ao invés de outra. Esse eu posso dizer que é um verdadeiro guia para passar os textos a limpo, pois ele realmente nos mostra como melhorar o próprio texto, a tal ponto de torná-lo conciso, objetivo, claro e sedutor. O livro também nos aponta os defeitos mais comuns no momento de escrever e ainda nos indica como escapar das ciladas da língua portuguesa e etc., etc.

Eis os livros segundo os especialistas da escrita:
Escrever Melhor: Guia para Passar os Textos a Limpo
Editora: Contexto
Preço médio: R$ 29,90
Autores: Dad Squarisi e Arlete Salvador

O livro é voltado para estudantes, jornalistas, advogados, executivos e escritores em geral. Ele aborda os defeitos mais comuns que as pessoas comentem ao redigir relatórios, documentos, reportagens e teses.
Outro ponto importante deste livro é que ele ensina como escapar das ciladas e pegadinhas da língua portuguesa.

A Arte de Escrever Bem:Um Guia para Jornalistas e Profissionais do Texto
Editora: Contexto
Preço médio: R$ 27,00
Autores: Dad Squarisi e Arlete Salvador

Direcionado para jornalistas e estudantes de jornalismo, o livro "A Arte de Escrever Bem" é de autoria de Dad Squarisi, conceituada editora do jornal "Correio Braziliense" e professora do Centro Universitário de Brasília. E também de Arlete Salvado, que já trabalhou na revista "Veja" e nos jornais "Correio Braziliense" e "O Estado de S.Paulo". As autoras ensinam ao leitor conceitos gramaticais, ortográficos e de estilo. Abordando os temas de uma maneira clara e bem-humorada, o livro oferece dicas para produzir um texto elegante e apurado.
O Escritor E Seus Fantasmas
Editora: Companhia das Letras
Preço médio: R$ 39,50
Autor: Ernesto Sabato O título é indicado para quem está começando a carreira de escritor de ficção e romance. Ernesto Sabato ensina que a literatura é o meio mais completo para desnudar a condição humana.
Entre outros temas do livro, o autor mostra a essência de escrever ficções, fala sobre o papel da literatura e suas reflexões.
 
Oficina de Escritores
Editora: Martins Fontes
Preço médio: R$ 41,80
Autor: Stephen Koch
Ex-catedrático da Columbia University, Stephen Koch produziu esse livro com observações e análises técnicas para o leitor ter meios de realizar uma boa escrita. O autor incrementa seus ensinamentos com comentários inspiradores de grandes escritores da literatura. O leitor terá em Koch um mentor para seu projeto de escrever. Ele mostrará como obter inspiração, como criar um enredo e depois transformá-lo em um romance de ficção.
A voz do escritor
Editora: Civilização Brasileira
Preço médio: R$ 30,00
Autor: A. Alvarez
Como desenvolver a voz do escritor? Essa é a pergunta que o livro de A. Alvarez vai responder ao leitor. Não apenas responder, mas também ensinar qual é a importância dela para a produção de um texto.

Alvarez, que é poeta, romancista e crítico literário, explica como encontrar a voz literária sem recorrer a maneirismos ou clichês. Pois o verdadeiro estilo de um escritor se encontra enraizado em sua própria essência e não nos textos de outros. O autor também analisa as vozes de escritores famosos e ensina o leitor a reconhecê-las. Ótima leitura não apenas para quem trabalha com a escrita, mas também para quem busca se tornar um leitor melhor.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Claúdio Quirino Lança Seu Primeiro Chick-lit: Um Novo Amor À Vista

Fico muito feliz quando amigos e parceiros do Blog São Tantas Coisas fazem lançamentos de novos livros sejam em versões impressas ou digitais. Hoje venho trazendo o lançamento de “Um Novo Amor À Vista” o primeiro livro digital lançado pelo meu amigo e colunista aqui do blog Cláudio Quirino.
  • Formato: Edição Kindle
  • Tamanho do arquivo: 569 KB
  • Número de páginas: 160 páginas
  • Uso simultâneo de dispositivos: Ilimitado
  • Editora: CLÁUDIO QUIRINO (1ª EDIÇÃO) (5 de janeiro de 2014)
  • Vendido por: Amazon Servicos de Varejo do Brasil Ltda
  • Idioma: Português
Darla é uma típica mulher moderna brasileira – determinada, trabalha, pega condução, tem seus sonhos secretos e ainda está enquadrada na categoria consumidora compulsiva, mas só tem um probleminha: o seu pequeno salário não é suficiente para as suas grandes necessidades. Diariamente tentada pelas propagandas das grifes e incapaz de ignorá-las, ela sempre acaba indo ao encontro de inúmeras bolsas Gucci, burberrys, sapatos Prada, óculos Dolce & Gabbana e suas próprias extravagâncias.

Para variar, o seu namorado de seis meses – Greg – acaba de sair de casa e abandoná-la. Disposta a controlar a sua solidão comprando (mesmo que, para isso, seu nome continue no vermelho), Darla vai, aos poucos, se envolvendo numa série de situações divertidas, otimistas e surpreendentes, capazes de arrancar risadas, à medida que seus pensamentos se decifram aos olhos do leitor. Um Novo Amor à Vista trata, em primeira mão, de cada um dos principais dilemas que afetam o universo feminino e trabalha a autoestima, com um tom cômico, sincero e espontâneo.

Em seu primeiro romance chick-lit, Cláudio Quirino revela um mundo completamente familiar e entrega personagens marcantes, simpáticos e um primeiro livro planejado.

O livro já está disponível na Amazon, por um precinho especial, clique no link abaixo e adquira já o seu...


Compre na Amazon: http://migre.me/hldzU

domingo, 5 de janeiro de 2014

Autor X Autor: Diéssica Nunes Sales e Sérgio Carmach Debatem Sobre A Nova Literatura Nacional

Olá amigos leitores, como está sendo o ano de 2014 para vocês, espero que esteja sendo bem animado. Falando em animação, tem um coluna no blog que amo de paixão: Autor X Autor. É muito gratificante ver como os autores realmente trazem suas opiniões sem, como se diria no popular, “babar-ovo” de ninguém. E hoje na coluna veremos a opinião dos autores Sergio Carmach e Diéssica Nunes Sales, sobre o tema: A Nova Literatura Nacional. Quando comecei a ler a opinião dos dois fiquei extasiado como eles pensam diferente e como suas opiniões divergem em vários pontos.

Como vocês sabem os autores que participam do Autor x Autor não sabem que será o autor ou autora que dividirá opiniões com ele, então a coluna fica livre para que cada se expresse da melhor maneira que achar. Mas vamos deixar de papo furado e partir para o tema de hoje, o que será que Sérgio e Diéssica acham da nova literatura nacional?

SERGIO CARMACH X DIÉSSICA NUNES SALES
A NOVA LITERATURA NACIONAL

1 - O que você acha sobre a nova literatura nacional?
SÉRGIO - A nova literatura nacional significa uma abertura, antes inexistente, para o escritor de talento sem mídia. Além disso, reflete uma inédita vontade do brasileiro de ler e escrever em quantidade. Mas essa abertura generalizada também tem um lado negativo. Hoje em dia, grande parte da chamada “nova literatura nacional” é, na verdade, o povo escrevendo para o povo. Então, é natural que tenhamos uma chuva de livros com português ruim, tramas batidas e histórias com forte apelo popular (em um sentido negativo da expressão). É como se as pessoas “comuns” tivessem promovido uma rebelião para tentar tomar à força parte do espaço dos escritores profissionais, passando a escrever – na forma e no conteúdo – aquilo que gostariam de ler. Se alguém fizer uma pesquisa sobre os livros nacionais independentes mais cotados, verá uma grande quantidade de lançamentos com enredos muito parecidos e típicos de uma “literatura” não muito respeitada (mesmo quando publicada por grandes editoras) pelos leitores acostumados a uma escrita menos ingênua. São muitas tramas falando de esposas frustradas em busca de um novo amor, de anjos caídos que se apaixonam por mortais, de vampiros inspirados em Crepúsculo, de espadas cujo poder é capaz de destruir o mundo se caírem em mãos erradas, de adolescentes em suas buscas íntimas e românticas... (sem falar nos incontáveis livros de autoajuda). Mas, conforme eu já disse, esse é só um lado da moeda. Se soubermos peneirar o trigo em meio ao joio, veremos que há lançamentos excelentes no mercado independente. Mas a valorização do que é realmente bom depende do leitor, que precisa entender o seguinte: “livro” não é necessariamente sinônimo de “literatura”. De qualquer modo, a nova literatura nacional representa uma nova era e pode ser a oportunidade que faltava para novos leitores e novos autores amadurecerem.

DIÉSSICA - Nossa nova literatura – como toda expressão artística – mostra quem somos agora. E o que eu mais gosto disso é ver que estamos criando nossa própria identidade, nossa própria literatura. Não estamos importando formas norte-americanas ou europeias de escrever, pelo menos, não a maioria dos que já li. Talvez até tenhamos uma influência dado que até pouco tempo era difícil ter livros de autores nacionais contemporâneos publicados, mas mesmo com essa influência – que acredito que todos nós temos, nem que seja um pouco – nós estamos criando nossa própria identidade literária. E isso é muito, muito importante.
Sem falar, que aos trancos e barrancos, estamos conseguindo alcançar cada vez mais as pessoas. Nossa literatura tem crescido, e muito!

2 - As editoras valorizam os autores que estão entrando no mercado agora?
SÉRGIO - As grandes editoras não valorizam os escritores iniciantes, porque eles estão longe de significar lucro certo. As pequenas valorizam, mas na medida em que os autores (e não os leitores) são a fonte principal de lucro delas. Ou seja, as editoras independentes valorizam o autor prioritariamente na qualidade de consumidor, não na qualidade de escritor. É claro que não podemos generalizar, mas em geral me parece acontecer dessa maneira.


DIÉSSICA - Uma pergunta um tanto complicada e difícil de responder de forma breve, pois não existe apenas um lado e sim vários que devem ser levados em conta.  Serei direta para a resposta não ficar enorme – significando que não colocarei todos os argumentos que gostaria. Falarei brevemente do incentivo a publicação e dos royalties.

Falando sobre o incentivo à publicação, eu diria que somos valorizados, pois atualmente temos várias editoras, que apesar de cobrarem para publicar, têm jogado vários autores por mês no mercado. O lado negativo disso é que elas têm perdido um pouco de critério para publicar, ou seja, como está sendo paga para isso, não avalia se a estória é realmente boa ou não. E isso é prejudicial até mesmo para o autor. Para mim, as editoras são como a banca avaliadora de um trabalho acadêmico. Elas têm que avaliar o trabalho e dar a nota! Não é destruir o autor, mas é dizer se ele está ou não preparado para a publicação.

Em termos de royalties, eu digo que não. Mas não são as editoras brasileiras que não valorizam seus autores. É o mercado literário como um todo. Eu ganho 10% de royalties sobre cada livro vendido. Rick Riordan ganha o mesmo. (Lembrando que por mais que ele venda milhões de livros e esses 10% se transformam em muito dinheiro, estamos falando da porcentagem sobre cada livro).

É óbvio que as editoras têm outros gastos além dos direitos autorais, tais como revisão, capa, diagramação, distribuição, gráfica, etc. Mas, sinceramente, será que o autor merece apenas 10% do lucro? Eu penso que não. E acreditem, no final de todo os gastos, quem fica com o maior lucro é a editora.

Para chegar a uma conclusão eu diria que, de certa forma, somos valorizados, mas não como deveríamos ser.

3 - Você acha que ainda há certo receio por parte dos leitores em relação à nova literatura nacional?


SÉRGIO - Os leitores ligados à blogosfera e às redes sociais (em geral jovens) estão menos fechados ao mercado independente, mas o leitor comum parece ainda não dar a menor bola para a nova literatura nacional. Pessoalmente, não conheço ninguém que compre livros desse segmento do mercado para dar de presente ou ter em sua estante. A Livraria da Travessa chegou a dedicar uma loja inteira no Rio apenas às pequenas e médias editoras (na Travessa do Ouvidor), mas não durou.

DIÉSSICA - Tenho certeza disso. Não vou dizer que atualmente a leitura de autores nacionais contemporâneos está baixa como era há alguns anos. Isso mudou. A leitura de livros nacionais vem crescendo muito, mas comparando a livros estrangeiros, está baixa e ainda desvalorizada.

Quantas vezes não deixamos de ver um filme nacional para assistir um norte-americano? Muitas! Não é mesmo? Com os livros não é diferente.

O que eu mais escuto, seja no meu prédio, na minha faculdade, no teatro, no bar, na balada, na internet, é que o Brasil não está com nada. Desculpe-me, mas você já procurou saber de como anda os Estados Unidos? Ou, até mesmo, a Europa?

Sim, saí da literatura. Sabem por quê? Porque ela é mais uma das desvalorizações. Ela não seria desvalorizada se nós valorizássemos nossa cultura.
E é obvio que isso reflete na arte. Aliás, a arte é o retrato da sociedade, é o nosso retrato. E a forma como ela ainda é desvalorizada retrata como desvalorizamos o nosso país, a nossa cultura, e a nós mesmos.

4 - Todos os autores que estão entrando agora no mercado literário realmente têm futuro?

SÉRGIO - Minha opinião a respeito está subentendida na resposta à primeira questão. É natural vermos mais escrevinhadores que escritores no cenário independente. Seria estranho se, em um universo no qual entra quem quer, todos fossem competentes. Indivíduos talentosos são minoria, em qualquer área.

DIÉSSICA - Sim, tenho certeza que os autores iniciantes têm futuro. Só não podem desistir. Você não vai virar best-seller em um ou dois anos de publicação. Basta conhecer a história da Paula Pimenta, Tammy Luciano, Carolina Munhoz e outros tantos autores nacionais que já estão em destaque na mídia e nas livrarias. Todos eles receberam não, todos eles se matavam para vender um livro que sequer, todos eles custaram para receber algum dinheiro proveniente da venda de seus livros. Isso faz parte. Assim como um livro tem um processo de construção (e levar portada na cara de editoras faz parte desse processo), o sucesso também tem.

***

E ai o que acharam desse nosso tema do Autor x Autor? Deem sua opinião, comentem, compartilhem  e até a próxima.

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Resenha: Máscara - A Vida Não É Um Jogo (Livro 1), de Luiz Henrique Mazzaron

E ai pessoas lindas como todos estão de 2014? Espero mesmo que muitas novidades e muito sucesso venham para todos nós. E começando as resenhas de 2014, nada melhor do que o livro do qual vou opinar hoje.

Acho que várias pessoas conhecem a franquia de filmes dos Jogos Mortais e a série televisiva The Walking Dead, não é? Agora imagine o sadismo dos jogos mortais se passando no cenário caótico de The Walking Dead, já imaginou? Se não, Luiz Henrique Mazzaron imaginou isso no seu livro Máscara – A Vida Não é Um Jogo.

Quem já tem o livro em mãos já fica meio em transe com aquele homem em total desespero estampando sua capa. Mais o melhor não está na capa claro, está na engenhosidade da construção do enredo do livro. Diferente de muito do que já li esse livro poderia estar entre os best-sellers mundiais pela forma de misturar terror, suspense e aventura em páginas que nos prendem a cada acontecimento.

O livro traz a história de Liam, que tem tudo para ser um garoto normal, mais que realmente não é. Depois de vários acontecimentos trágicos em sua vida, ele acordar em um mundo diferente do que já viu, onde um tal de Nero controla tudo e que agora com um novo grupo de “amigos” Liam terá que lutar pela sua sobrevivência em a um mundo de caos, onde zumbis, seres mágicos e jogos de vida e morte farão parte de seu cotidiano. Por que ele estaria ali? O que ele tinha de diferente de outros para ser o escolhido? Essas são as principais perguntas de Liam e que ele terá que descobrir por conta própria.

Luiz Henrique Mazzaron
O AUTOR
A cada acontecimento o autor consegue deixar um ar de suspense e quero mais, confesso que fiquei arrasado quando estava na ultima página do livro, mais feliz por saber que aquele era apenas o inicio de um saga e que ainda terei muito que enfrentar junto com Liam e sua turma.


Um ponto fraco do livro, não do livro, mais sim da edição, encontra-se no livro alguns erros de edição, como erros ortográficos ou de digitação, mais isso fica mais por conta da editora e claro que não estraga a estória intrigante de “Máscara”. Vale a pena você conferir e se deliciar com as aventuras de um garoto que a única coisa que deseja é ter uma vida normal, mais se depender de Nero e do autor isso não acontecerá tão cedo. Aguardemos portanto a continuação dessa intrigante saga...

Página do Livro: http://migre.me/hfQ8G