sábado, 12 de janeiro de 2013

Entrevista Exclusiva com Beto Lima, Autor de "Amor Igual"


Olá amados, já trouxe para vocês minha opnião sobre o livro “Amor Igual” de Beto Lima (Confira Aqui), hoje venho trazendo para vocês uma conversa especial com o autor, trazendo todas as duvidas que ainda restaram, vamos conferir? Depois comentem ou deixem sua pergunta ao autor =).
STC – DEIXE UMA MINI-BIOGRAFIA SUA.
BL – Bem, sou professor de História, formado pelas Faculdades Integradas Simonsen (RJ), nasci em Juiz de Fora (MG) e atuo como professor na rede pública estadual de ensino aqui de MG, e nas horas vagas me dedico à literatura.

STC – O QUE O INSPIROU A ESCREVER O LIVRO “AMOR IGUAL”?
BL – Um amor platônico de minha adolescência...

STC – COMO O AUTOR VÊ A HOMOFOBIA?
BL – Como uma forma de preconceito social que deve ser combatido, uma vez que não somos iguais e que as diferenças de cada indivíduo devem ser respeitadas embora possamos não concordar com as mesmas. Acho que o respeito é à base de tudo para uma convivência harmoniosa em sociedade.

STC – O PERSONAGEM PRINCIPAL É ALGUÉM QUE NUNCA TEVE RELAÇÃO COM HOMENS, O QUE PENSOU AO CRIA-LO?
BL – Pensei que ele era um cara bem sucedido em sua vida profissional e financeira, porém infeliz em seus relacionamentos afetivos com as mulheres. Daí, ao reencontrar um amigo de infância que afirma gostar dele não como um amigo e sim como um homem, ele resolve dar uma chance aquela relação, de forma a experimentar essa diferente forma de amar, e para sua surpresa acaba se deixando envolver e gostando da experiência que viveu.

STC – QUE TIPOS DE LIVRO O AUTOR CURTE?
BL – Romances, alguns de Auto ajuda e também os de História Geral e do Brasil (principalmente do período republicano que é minha área de interesse favorita).

STC – DE ONDE VEIO A VONTADE DE ESCREVER?
BL – Sinceramente não sei, acho que esse livro foi uma forma que encontrei para exteriorizar meus “demônios” (rsrsrsrsrs). Uma vez uma professora de teatro com quem estudei há alguns anos, disse que quem não tem dinheiro para pagar terapia, faz teatro que resolve da mesma maneira e sai muito mais barato. No meu caso, ao invés de fazer teatro novamente, optei por sentar na frente do computador e inventar essa história fictícia com traços de realidade. Com certeza posso garantir que foi muito mais produtivo do que se eu sentasse em um divã para falar das minhas amarguras para um desconhecido que me cobraria altos valores semanais para escutar meus problemas...
STC – QUAIS TÊM SIDO AS OPINIÕES SOBRE O LIVRO?
BL – Acho que sou meio suspeito para falar disso (rsrsrsrs), mas, pelas críticas que tenho recebido de amigos próximos e principalmente de blogueiros parceiros, acho que o mesmo está sendo bem recebido. Até porque não existe literatura muito parecida no mercado que aborde esse assunto, (que na nossa sociedade ainda é um tabu) com a leveza que o exponho em meu texto. Minha proposta desde o início era escrever um livro não só para um público específico, mas também para as pessoas que convivem ou não diretamente com o tema em questão, de forma que esses possam compreender um pouco melhor esse universo muita das vezes incompreendido pela maioria. Tenho certeza que muitos que vão ler essa obra tem algumas dúvidas quanto a sua orientação sexual, principalmente por causa do preconceito tanto dentro do seio familiar como na sociedade em geral que os cerca. De alguma maneira espero por meio dessa obra que essas pessoas “indecisas” digamos assim, possam ter um norte a seguir de modo a tomarem a decisão certa nos rumos de suas vidas e verdadeiramente serem felizes.

STC – O AUTOR TEM OUTROS LIVROS PARA LANÇAR OU EM FASE DE CRIAÇÃO?
BL – Projetos embrionários ainda, talvez para o próximo ano, não sei ao certo, mas já estou escrevendo (sem pressa) o segundo capítulo do meu próximo romance. Acho que o momento agora é de divulgação desse primeiro trabalho que tem apenas seis meses de publicação e venda. Vamos ver como as coisas vão acontecer em 2013...

STC – VOCÊ FARIA UMA CONTINUAÇÃO DE “AMOR IGUAL”?
BL – Não. Como disse esse livro foi pra mim a exteriorização de um amor platônico de minha adolescência o qual as lembranças não são lá as melhores que posso ter. Assim que finalizei a última página de AMOR IGUAL, foi como se eu tivesse virado um capítulo de minha vida. Por tanto, não pretendo retornar a essa história com uma sequência. O que passou, passou e ponto final.

STC – QUAL A EMOÇÃO DE TER UM LIVRO PUBLICADO?
BL – Pra mim foi legal principalmente porque o lançamento ocorreu na Bienal de São Paulo do ano passado. Acho que não tem nada melhor do que sermos prestigiados pelo nosso próprio esforço, pelo nosso trabalho.

STC – QUAL A MENSAGEM O AUTOR DEIXA PARA OS LEITORES?
BL – Seja feliz com você mesmo. Afinal de contas a gente só pode ser feliz com o próximo ou no meio em que vivemos se estivermos felizes com a gente em primeiro lugar.

STC – EXISTEM AMORES DIFERENTES?
BL – Acredito que sim, iguais, diferentes entre amigos entre pais e filhos entre casais, enfim, amor não tem sexo não tem idade não tem preconceito. A gente ama e pronto! As barreiras são os próprios seres humanos que colocam em nome de uma religião, de uma moral ética ou de outra desculpa qualquer. Acho que o amor é um sentimento Divino que existe para ser sentido e transmitido a quem se gosta independentemente de qualquer coisa, o sexo vem depois.
STC – COM O LIVRO O AUTOR DEIXA A MENSAGEM DE SERMOS SINCEROS COM OS NOSSOS SENTIMENTOS. VOCÊ ACHA QUE SE DEVE LUTAR POR UM AMOR CONSIDERADO DIFERENTE PELA SOCIEDADE?
BL – Sim, acho que a nossa felicidade individual deve vir antes de qualquer coisa, pois como já disse, para que possamos ser felizes com os outros e dentro do nosso próprio meio é necessário primeiramente estarmos bem com a gente. Sendo assim, acho válida a ideia de se lutar por um amor em que acreditamos, seja ele considerado diferente ou não pela sociedade. Tenho a certeza de que se tivesse feito isso no passado, não teria escrito AMOR IGUAL. Se seria feliz com essa atitude de lutar? Não sei, mas pelo menos teria uma certeza dentro de mim: a de que pelo menos eu tentei...

STC – DEIXE SUAS CONSIDERAÇÕES FINAIS.
BL – Gostaria de agradecer o espaço ao BLOG SÃO TANTAS COISAS, e divulgar a página do livro no Facebook (AMOR IGUAL). Lembrando ainda que estou aberto a críticas por meio da página a qual sempre que possível atualizo e respondo pessoalmente. Um grande abraço a todos!

E aqueles que se interessaram podem adquirir o livro no site da Editora Baraúna (www.editorabarauna.com.br)


6 comentários:

  1. Oi. Adorei a entrevista e o tema abordado elo autor vai ajudar muitos leitores...interessante.
    Beijos para você.
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que massa essa entrevista! Não conhecia o livro do autor, mas me interessei pra ler, até porque nunca li nada sobre amores homossexuais ;) Nunca tive preconceito com isso, então vou procurar saber mais sobre o livro depois.
    Adorei que a inspiração veio de uma coisa ruim do passado, adoro gente que faz limonadas com os limões da vida... hihihi
    Super jovem o autor e com um livro interessante desses, esse tem futuro :D

    Estou seguindo você!
    Pode retribuir?
    Beijos
    http://livrosebatons.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Vou comprar este livro em fevereiro, além de ser um tema que me interessa muito o livro é de um autor nacional, que melhor do que isso não é?
    Gostei muito da entrevista, sucesso para o Beto Lima e suas obras ;)
    Bjs,
    Pati

    ResponderExcluir
  4. Adorei a entrevista e fiquei com muita vontade de ler o livro.

    Também acredito que não somos todos iguais e as diferenças tem sempre que serem respeitadas sim.
    Se fossemos todos iguais, que graça teria?
    As diferenças seja qual ela for que dão graça a vida!

    Muito legal a entrevista. Gostei..

    Abraços a todos.
    Monica.

    ResponderExcluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.