sábado, 28 de julho de 2012

A Dor da Espera, de Mairton Costa



Uma vez eu li, em um desses muito livros que já passaram por minhas mãos, que a coisa mais difícil de suportar é a espera. Engraçado como esta frase me causou tanto impacto, essas palavras eram verdadeiras, e como. Sabia disso, não por acreditar no que os livros trazem, coisa que o faço, mas por ter sentido isso na pele. Cada palavra desta frase me trouxe lembranças inesquecíveis e dolorosas. ESPERA. Que palavra mais pesada de se carregar, que palavra mais difícil de cumprir, que palavra mais dolorosa para mim. Lembro de ter te esperado por muito tempo, lembro de você nem se importar com este fato, lembro do quanto era ruim, lembro do quanto esperei em vão, lembro do quanto estava cansado de esperar . Esperei você gostar de mim, esperei receber carinho teu em troca de tudo o que eu fazia por você. Esperava, mesmo depois de ter um dia difícil, você chegar. Esperei que você ao menos notasse todos os meus sacrifícios, esperei você reconhecer que eu era a pessoa que você sonhou a vida toda (e mais uma vez a palavra esperar me aparece), esperei até que brotasse um sentimento teu por mim. Esperar, espera, esperei, esperou, esperava, não quero esperar mais. Tanto que esperei, tanto que cansei. Tento fugir ao máximo da espera e de seus derivados, mas não posso, as garras do tempo me puxam e me trazem de volta ao ponto estático da espera, não posso me livrar, mas não posso e não quero mais esperar por você e nem por ninguém, por nada, para sempre. Minha vida repleta, cheia e feita de espera.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.