sexta-feira, 29 de junho de 2012

Eu Te Amo, Não É Bom Dia! ( By Mairton Costa)



Relembrando o passado e vendo os dias de hoje, percebo o quanto o amor tornou-se banalizado. Não precisa voltar muito no passado para perceber isto, basta alguns anos atrás. Hoje dizer EU TE AMO, tornou-se quase a mesma coisa que dizer: “Eu gosto de Biscoito”. Não há mais aquele sentimento, aquele romantismo ou aquela sinceridade nas palavras.
Hoje se alguém conhece uma pessoa numa noite, divide alguns beijo já está espalhando por ai que está amando, não é por ai né? Para amar-se alguém tem que conviver, tem que estar com a pessoa e não sentir apenas desejo, mas vontade de nunca mais sair de perto daquele alguém. Não confunda o fervor do desejo e da paixão com o fogo do amor. Amar não é só falar, é agir, é fazer, é demonstrar. Amor é aquele que a distância não consome, que a saudade não destrói e é aquele que mesmo sem ser correspondido continua a arder vivo no fundo do coração.
Cuidado ao dizer ou escrever que ama alguém, preste atenção antes para que não seja só paixão e que você não acabe magoando e marcando para sempre um coração que te ama ... Fica a Dica: Eu Te Amo, Não É Bom Dia!

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Livro Cartas de Amor de Dirceu W. Ramos



Título: Cartas de amor
Autor: Dirceu W. Ramos
Capa: Marina Avila
Linha Literária: Romance Sobrenatural



SINOPSE:

A história é ambientada em três dimensões: Passado, presente e futuro, o personagem circula por elas; Primeira guerra mundial, anos recentes e consequências de nossas escolhas. O pano de fundo é o amor como fundamento de eternidade. “A história que você escreve está e esteve todo o tempo dentro de você. Cabe contá-la agora ou adiá-la, porém terá de vivê-la. Compreende?”


Resenha:

Cartas de amor é antes de tudo, o simbolismo da força do amor.

Trata-se de personagens como Paulo e Korina, que lutam bravamente, durante os tempos e vidas em diferentes épocas históricas, para se encontrarem.

O casal foi separado no passado, por circunstâncias de um conflito que marcou a vida de Paulo em todas as suas existências. A partir daí, sonhos e cartas de amor são escritas a Korina, a cada vez que Paulo acordava, sendo impossível não se comover com seu desespero, por sentir-se separado da amada.

Um dos traços principais da obra ao descrever os aspectos de uma vida passada é vê-la exatamente desta forma, porém, com todos os sofrimentos que um dia foi vivido, ainda vivo, afetando a vida presente. Temos no livro, emoções, sensações e experiências acumuladas, mas não mais as mesmas situações, pessoas e fatos. A persistência de Paulo, buscando por respostas, o encoraja a reviver tudo novamente, atravessando fronteiras e enfrentando o mal, para descobrir o que aconteceu, quem era, e os motivos certeiros de tormentos e angústias que o condenava minuto a minuto, longe de sua Korina.

Durante os sonhos, podemos participar com detalhes dos conflitos de cada época – guerra e conspirações que se dão através do maniqueísmo, sendo este, o pano de fundo de uma luta sem trégua. Dirceu não se esqueceu de frisar as revoltas políticas e religiosas de cada época. O furor da indignação e muitas vezes, a vingança nas entrelinhas. O linear entre o bem e o mal veio marcado por colocações curiosas, por vezes, sombrias e perturbadoras. Posso ter sido uma pessoa maravilhosa em outra vida, aqui, tratada como fato fictício, sem ligação religiosa, mas ser terrível na atual. Posso ter tido uma alma nobre numa determinada passagem, vil em outra, e espiritual nesta. Todo processo de vidas passadas refletidas no próprio tempo, indo e vindo, estão relacionados com as experiências faltantes, aos laços que precisam ser desatados, contudo, precisam ser vivenciados novamente.

O livro não defende uma bandeira religiosa da vida real, mas baseia-se em uma percepção da realidade material, a forma com a qual o homem conta o tempo também pode ser visivelmente influenciada pela maneira com que a vida é compreendida.

O referencial empregado pelo escritor, trabalha com as modificações que as sociedades promovem na sua organização, no desenvolvimento das relações políticas, no comportamento das práticas econômicas e em outras ações e gestos que marcam a história de um povo, e por que não dizer, de uma transição existente dentro de cada um de nós, nem tão voltados totalmente ao bem, nem tão maus que não conseguem enxergar esta diferença.

O coração do livro é o encontro das almas gêmeas. Não do amor subversivo, egoísta, hipócrita ou sensual, e sim, do amor incansável, inabalável e invencível. O livro afirma que Almas Gêmeas viveram muitas vidas e se encontraram de uma maneira ou de outra, em todas elas. Numas, conseguem ficar juntas pelo amor; noutras, porém, enfrentam dificuldades e sofrimentos tão grandes que não permitem a união desejada, mas estaremos todos, torcendo e aguardando pelo livro dois, que nos permitirá uma visão mais ampla desta dimensão que se encontra Korina, pois assim, como leitora e encorajadora do amor vivido pelos personagens, espero otimista pela redenção.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

X Bienal do Livro do Ceará será no Centro de Eventos


O secretário Francisco Pinheiro anunciou que a Bienal contará com a participação do vencedor de um Prêmio Nobel de Literatura


A X Bienal Internacional do Livro do Ceará já tem data e local para acontecer. O Secretário da Cultura do Governo do Estado, professor Francisco Pinheiro, informou , em solenidade no auditório do Palácio da Abolição, as primeiras informações sobre o evento literário. De 8 a 18 de novembro de 2012, a Bienal do Livro ocupa o novo Centro de Eventos do Estado e traz como tema Padaria Espiritual – O Pão do Espírito para o Mundo, homenageando os 120 anos do movimento artístico e literário cearense.  
Um dos poucos nomes confirmados para a programação é o do escritor e dramaturgo nigeriano Wole Soyinka, 77, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura de 1986. Soyinka esteve no País em abril, quando participou da I Bienal Brasil do Livro e da Leitura, em Brasília. Esta será a primeira vez que o evento de Fortaleza tem a presença de um vencedor do Prêmio Nobel de Literatura.
Sem curadoria definida, a programação da Bienal vai sendo delineada por uma comissão formada por representantes da Secult, do Instituto de Arte e Cultura do Ceará e da Rede Nordeste do Livro, Leitura e Literatura, entre outros. Foram definidas homenagens ao ensaísta e poeta cearense Rafael Sânzio de Azevedo, membro da Academia Cearense de Letras, e ao fundador da Editora Cortez, José Cortez.
A décima Bienal comemora, ainda, algumas das principais efemérides deste ano, como os 90 anos da Semana de Arte Moderna e os centenários de Luiz Gonzaga e dos escritores Nelson Rodrigues e Jorge Amado. O cantador e violeiro Joaquim Batista de Sena e a escritora cearense Francisca Clotilde serão também homenageados. Em depoimento, o secretário Francisco Pinheiro ressaltou a importância do trabalho das escritoras cearenses. “Isso nos orgulha muito, ter alguém que conquistou o mundo e voltou à terra para trabalhar com afinco. Você sabe por que está sendo homenageada”, disse referindo-se à escritora Ana Miranda, presente na plateia.
A Bienal ocupará o novo Centro de Eventos do Ceará, com previsão de ser concluído no dia 20 de junho. Com uma área de 23 mil metros quadrados, a feira conta agora com 180 estandes e um espaço de 4 metros entre eles para um melhor circulação. A estimativa é que cerca de 600 mil pessoas visitem a feira durante os dias de programação. (Fonte Jornal O Povo)


A X edição da Bienal Internacional do Livro do Ceará será realizada de 8 a 18 de novembro no novo Centro de Eventos do Ceará, na avenida Washington Soares. O tema será Padaria Espiritual – O Pão do Espírito para o Mundo.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Dica de Livro: Uma Carta de Amor, de Nicholas Sparks



Hoje aproveito o espaço do blog para apresentar para vocês esse lindo livro, uma história romântica e emocionante que foi transformada em filme em 1998. Em "UMA CARTA DE AMOR", Nicholas Sparks conta a história da jornalista Theresa Osborne, de Boston, que, divorciada há três anos, já não acredita no amor. Com seu filho, ela vai passar as férias em Cape Cod, quando encontra uma garrafa que traz dentro uma tocante mensagem. A carta é destinada à "minha querida Catherine". Comovida com aquela mensagem de amor, Theresa, através de sua coluna no jornal, acaba descobrindo a identidade do misterioso autor: Garrett Blake (vivido nas telas por Costner). Ela segue a pista de Garrett, que há três anos chora o amor perdido, e percebe que ele pode estar pronto a amar novamente. Como ela.

Reunidos pelo acaso, Theresa e Garrett são pessoas cujas vidas estão prestes a se tocar com um propósito, numa história que reflete nossas mais profundas esperanças de encontrar aquele alguém especial e o amor imorredouro. Com suspense e intensidade emocional, Sparks conduz o leitor numa caçada à verdade sobre um homem e as suas lembranças, sobre a dilacerante fragilidade do amor e ao mesmo tempo o seu imenso poder.


Vale Também a pena assistir o filme que é estrelado por Robin Wright e Kevin Costner.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Hoje é O Lançamento do Livro "De Olhos EntreAbertos" de Aila Sampaio

Hoje é o grande Lançamento do Tão Esperado Livro de Aila Sampaio... Todos estão convidados a participar desse grande evento....


Confira Entrevista Feita Com Aila para o Blog STC: Clique Aqui

segunda-feira, 18 de junho de 2012

O Encanto nosso de cada Dia!


Ainda bem que o tempo passa!
Já imaginou o desespero que tomaria conta de nós
se tivéssemos que suportar uma segunda feira eterna?
A beleza de cada dia só existe porque não é duradoura.
Tudo o que é belo não pode ser aprisionado,
porque aprisionar a beleza é uma forma
de desintegrar a sua essência.
Dizem que havia uma menina que se maravilhava
todas as manhãs com a presença de um pássaro encantado.
Ele pousava em sua janela e a
presenteava com um canto que não
durava mais que cinco minutos.
A beleza era tão intensa que o canto
a alimentava pelo resto do dia...

Certa vez, ela resolveu armar uma armadilha
para o pássaro encantado.
Quando ele chegou, ela o capturou e
o deixou preso na gaiola para que pudesse
ouvir por mais tempo o seu canto.


O grande problema é que a gaiola o entristeceu,
 e triste, deixou de cantar.
Foi então que a menina descobriu que,
o canto do pássaro só existia, porque ele era livre.
O encanto estava justamente no fato de não o possuir.
Livre, ele conseguia derramar na janela do quarto,
a parcela de encanto que seria necessário,
para que a menina pudesse suportar a vida.

O encanto alivia a existência...
Aprisionado, ela o possuia, mas não recebia dele
o que ela considerava ser a sua maior riqueza: o canto!
Fico pensando que nem sempre sabemos recolher só encanto...
Por vezes, insistimos em capturar o encantador,
e então o matamos de tristeza.
Amar talvez seja isso:
Ficar ao lado, mas sem possuir. Viver também.
Precisamos descobrir, que há um encanto
nosso de cada dia que só poderá ser descoberto,
à medida em que nos empenharmos em não reter a vida.
Viver é exercício de desprendimento.

É aventura de deixar que o tempo leve o que é dele,
e que fique só o necessário para continuarmos as novas descobertas.
Há uma beleza escondida nas passagens...
Vida antiga que se desdobra em novidades.
Coisas velhas que se revestem de frescor.
Basta que retiremos os obstáculos da passagem.
Deixar a vida seguir.
Não há tristeza que mereça ser eterna.
Nem felicidade.

Talvez seja por isso que o verbo dividir nos ajude
tanto no momento em que precisamos entender
o sentimento da tristeza e da alegria.
Eles só são suportáveis à medida em que os dividimos...
E enquanto dividimos, eles passam, assim como tudo precisa passar.
Não se prenda ao acontecimento que agora parece ser definitivo.
O tempo está passando...
Uma redenção está sendo nutrida nessa hora...
Abra os olhos.
Há encantos escondidos por toda parte.
Presta atenção.
São miúdos, mas constantes.

Olhe para a janela de sua vida e perceba
o pássaro encantado na sua história. Escute
o que ele canta, mas não caia na tentação
de querê-lo o tempo todo só pra você.
Ele só é encantado porque você não o possui.
E nisto consiste a beleza desse instante:
o tempo está passando, mas o encanto
que você pode recolher será o suficiente
para esperar até amanhã, quando o passaro encantado,
quando você menos imaginar, voltar a pousar na sua janela.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Paro Ao Lembrar... --> de Mairton Costa


Paro ao lembrar dos teus olhos
Não esses olhos que você tem hoje
Mais aqueles que demonstravam
Um olhar meigo e carinhoso
Aqueles olhos que me encantaram
Desde a primeira vez que os fitei.

Paro ao lembrar do teu abraço
Não esse abraço seco de hoje
Mais aquele abraço que me aconchegava
Que sem palavras me dizia
O quanto eu era importante para você

Paro ao lembrar do teu beijo
Aquele beijo que me levava ao infinito
Aquele beijo que me fazia feliz
Que me fazia flutuar e sentir-me amado

Paro ao lembrar de suas cartas
Aquelas cartas em que você dizia tudo
Falava do seu amor, do seu carinho
Falava de nós dois, do nosso amor

Paro ao lembrar dos nossos momentos
Não esses momentos de hoje
Mais aqueles momentos inesquecíveis
Em que me sentia o mais feliz do mundo
E que te tinha nos meus braços
Nem que fosse por alguns minutos

Paro ao lembrar de suas palavras
Pena que ficaram apenas nas palavras
e que as suas atitudes foram contrárias
E que você não cumpriu tudo que me dizia...

quarta-feira, 6 de junho de 2012

O silêncio também explica, de Aila Sampaio



Ela tanto perguntou por que as coisas não aconteciam pela vontade, tanto esperou a resposta e quis entender, que atravessou os dias à míngua, desceu ao fundo do poço pra não ficar em dúvida se ainda havia água. Só então entendeu que silêncio também explica, que flores também secam no caule, que sentimentos também ficam exaustos... Compreendeu que a sua espera era inútil e desistiu de colar cartazes nos muros e esgarçar o pensamento com lembranças que nada revogavam. Foi correr atrás de sua seiva em algum lugar de antes daquele incidente chamado ilusão.